LCI x CDB: o que vale mais a pena investir?

Bruno Thadeu
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Qual a melhor opção entre LCI e CDB? É muito comum ficarmos em dúvida em qual título investir em meio a tantas opções de renda fixa. Apesar de ambos os papeis terem semelhanças, cada um possui uma característica que vale a pena conhecer.

Vamos explicar com detalhes destas características da LCI e CDB para que fique claro a melhor alternativa de investimento. 

O Eu Quero Investir te ajudará a resolver se vale mais a pena aplicar em LCI ou CDB.

Abra agora sua conta na EQI Investimentos e tenha acesso a soluções customizadas de acordo com seu perfil

LCI e CDB: vantagens e desvantagens

Vantagem da LCI

A principal diferença entre LCI e CDB é que a LCI é isenta de tributos, enquanto o CDB sofre tributação do Imposto de Renda e IOF

Neste ponto, a LCI leva vantagem sobre o CDB! 

Vale muito mais a pena, portanto, pegar uma LCI com 100% do CDI do que um CDB com 100% do CDI. 

Quem investe em LCI não terá de separar o rendimento bruto do rendimento líquido, diferentemente de quem pega um CDB. 

Vantagem do CDB

Pelo fato de o CDB ser tributado, o mercado financeiro costuma oferecer fundos com CDI bem superiores em relação à LCI. A ideia, logicamente, é compensar essa desvantagem nos impostos.

Por normalmente ter fundos com CDIs maiores em relação às LCIs, o CDB pode ser mais vantajoso na aquisição de fundos de médio a longo prazo.

Investimentos a médio e longo prazo fazem todo sentido em CDB, pois a tributação vai diminuindo conforme os anos. Veja:

  • Aplicações de até 180 dias: 22,5% de tributação
  • Aplicações entre 181 e 360 dias: 20% de tributação
  • Aplicações entre 361 e 720 dias: 17,5% de tributação
  • Aplicações maiores do que 721 dias: 15% de tributação.

LCI e CDB: em qual eu invisto

Para fazer a escolha entre LCI e CDB, você precisa responder uma pergunta-chave:

 “Até quando posso deixar meu dinheiro aplicado?”

Essa questão faz toda a diferença, pois quanto mais tempo você deixar em um CDB, menor será o imposto. 

Portanto, a resposta ideal sobre investir em LCI ou em CDB dependerá muito do seu perfil e objetivo. A performance de cada fundo irá variar de acordo com o tempo que você mantiver a aplicação. 

Por isso, é interessante que você trace um plano antes de aplicar, se certificando de que não vai mexer nesse dinheiro até o prazo definido.

LCI e CDB: como são calculadas

LCI e CDB são aplicações de renda fixa e seguras. Suas rentabilidades estão atreladas ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Para quem não conhece, CDI é uma taxa que determina os juros do mercado financeiro. 

Exemplo: Quando um investimento oferece 110% do CDI significa que seu rendimento é 10% acima da taxa de juros do momento. 

Outro exemplo: Se um fundo oferece 85% do CDI é que o rendimento é 15% a menos da taxa de juros do mercado financeiro. 

Ao aplicar em LCI e CDB, você tem uma previsão do quanto irá receber quando resgatar o dinheiro. O valor exato, porém, você só saberá na data final do resgate, afinal a taxa de juros do CDI pode variar com o tempo. 

Simulações de LCI e CDB

Vamos ver exemplos de rendimentos de LCI e CDB para sabermos em qual cenário cada fundo você se sairia melhor:

Suponhamos que você queira aplicar R$ 10 mil. Ao olhar o mercado financeiro, você encontra duas opções de investimento em renda fixa: uma em LCI e outra em CDB.

1ª Simulação: 

Exemplo 1: Vamos supor que você queira aplicar R$ 10 mil com prazo de 6 meses.

LCI: 85% do CDI

CDB: 100% do CDI

Na LCI, o retorno líquido será de R$ 10.080,31 (lembrando que é isento de imposto de renda)

No CDB, o retorno bruto será R$ 10.094,55, e o retorno líquido será de R$ 10.075,64 (porque tem alíquota de 20% para período de 6 meses).

Portanto, a LCI é o fundo mais indicado para o Exemplo 1.

Exemplo 2: Vamos supor que você queira aplicar os mesmos R$ 10 mil, mas com prazo de 18 meses.

LCI: 85% do CDI

CDB: 100% do CDI

Na LCI, o retorno líquido será de R$ 10.242,88 (é isento de imposto de renda)

No CDB, o retorno bruto será R$ 10.286,35, e o retorno líquido será de R$ 10.236,24 (porque tem alíquota de 17,5% para período de 18 meses).

Portanto, a LCI é o fundo mais indicado para o Exemplo 2.

Exemplo 3: Vamos supor que você queira aplicar os mesmos R$ 10 mil, mas com prazo de 24 meses.

LCI: 85% do CDI

CDB: 100% do CDI

Na LCI, o retorno líquido será de R$ 10.325,15 (é isento de imposto de renda)

No CDB, o retorno bruto será R$ 10.383,61, mas o retorno líquido será de R$ 10.326,07 (porque tem alíquota de 15% para período de 36 meses).

Portanto, CDB já fica à frente da LCI nesse exemplo 3.

Conclusão da 1ª simulação

Fizemos três exemplos. Nos dois primeiros, a LCI ganhou. No terceiro exemplo, o CDB superou a LCI, com rentabilidades bem próximas.

Mesmo tendo taxa do CDI menor em relação ao CDB (85% contra 100%), a LCI é mais atraente nos 23 primeiros meses. 

Isso porque a carga inicial de impostos no CDB ainda afeta no retorno líquido. 

Nos exemplos apresentados, o CDB já começa a ser mais vantajoso em relação ao LCI no 24º mês. Desse prazo em diante, o CDB sempre será mais vantajoso do que a LCI.

Somente após 24 meses que um CDB que pague 100% do CDI valerá mais em relação a uma LCI de 85% do CDI.

“Têm diversas variáveis a serem analisadas, como o valor para investimento, a rentabilidade do fundo, o nível de risco, o prazo. A partir do levantamento desse ‘combo’ de questões, fica mais fácil decidir onde aplicar”, comentou o analista Marcio Loréga, da Ativa Investimentos. 

2ª Simulação: 

Exemplo 1: Vamos supor que você queira aplicar R$ 20 mil com prazo de 11 meses.

LCI: 95% do CDI

CDB: 115% do CDI

Na LCI, o retorno líquido será de R$ 20.330,51 (lembrando que é isento de imposto de renda)

No CDB, o retorno bruto será R$ 20.400,79, mas o retorno líquido será de R$ 20.320,63 (porque tem alíquota de 20% para período de 11 meses).

Portanto, a LCI é o fundo mais indicado para esse Exemplo 1.

Exemplo 2: Vamos supor que você queira aplicar os mesmos R$ 20 mil, mas em uma aplicação com prazo de 17 meses.

LCI: 95% do CDI

CDB: 115% do CDI

Na LCI, o retorno líquido será de R$ 20.513,09 (é isento de imposto de renda)

No CDB, o retorno bruto será de R$ 20.622,77, e o retorno líquido será de R$ 20.513,79 (porque tem alíquota de 17,5% para período de 17 meses).

Portanto, LCI e CDB estão praticamente iguais, com leve vantagem do CDB.

Exemplo 3: Vamos supor que você queira aplicar os mesmos R$ 20 mil, mas em uma aplicação com prazo de 36 meses.

LCI: 95% do CDI

CDB: 115% do CDI

Na LCI, o retorno líquido será de R$ 21.102,14 (isento de imposto de renda)

No CDB, o retorno bruto será R$ 21.341,79, e o retorno líquido será de R$ 21.140,52 (porque tem alíquota de 15% para período de 36 meses).

Portanto, o CDB é o fundo mais indicado para esse exemplo.

Conclusão da 2ª simulação

Fizemos três exemplos. No primeiro (prazo de 11 meses), a LCI ganhou. 

No segundo exemplo (prazo de 17 meses), o CDB já fica à frente.

No terceiro exemplo (prazo de 36 meses), o CDB vale mais a pena.

Mesmo tendo rentabilidade menor no CDI (95% contra 115% do CDI do CDB), a LCI é mais atraente nos 11 primeiros meses. 

O CDB passa a ficar pela 1ª vez na frente no 12º mês. Isso porque a carga de impostos no CDB reduziu de 20% para 17,5% a partir do 12º mês. 

Portanto, uma LCI que pague 95% do CDI vale mais a pena nos 11 meses iniciais em relação ao CDB que pague 115% do CDI.

Nos exemplos apresentados, o CDB já passa a ser mais vantajoso em relação ao LCI a partir do 12º mês. Desse prazo em diante, o CDB sempre será mais vantajoso do que a LCI.

Essas conclusões refletem aquilo que foi dito no começo do texto: a melhor estratégia depende da rentabilidade da LCI e CDB e do prazo escolhido.

O que é LCI?

LCI é Letra de Crédito Imobiliário. As LCIs são emitidas no mercado por instituições financeiras. Quando você adquire LCI de uma empresa, significa que você está ajudando reforçar o caixa dela.

Esse montante arrecadado com LCIs ajudará as empresas a custear projetos imobiliários, pagar funcionários, pagar dívida, entre outros. Na teoria, você está “emprestando” dinheiro para a empresa.

Em troca, a instituição se compromete a quitar, com juros, os valores obtidos com os participantes via LCIs. São esses juros (remunerações) que vão atrair os investidores a entrar neste papel. Muitos investidores ficam à procura de juros atraentes oferecidos nas LCIs.

A empresa que angariou recursos pela LCI tem prazo fixo para quitar seus investidores. O prazo pode ser de meses ou anos. Aí vai depender de cada contrato. 

O que é CDB?

O Certificado de Código Bancário (CDB) são títulos emitidos por bancos ao mercado financeiro. Quem compra fundos CDBs estão emprestando dinheiro para as instituições financeiras. 

Esses recursos vindos dos investidores em CDBs são importantes para reforçar o caixa dos bancos.  A instituição que recebe o empréstimo se compromete a pagar com juros dentro de um prazo estabelecido. 

Ao investidor, interessa saber quais bancos oferecem os melhores juros nos CDBs. Bancos menores costumam oferecer fundos com CDIs maiores em relação aos grandes bancos. 

Isso acontece porque em uma situação de igual rentabilidade entre um banco grande x banco pequeno, o investidor tende a aplicar em uma instituição grande, pois, teoricamente, traz mais confiança e segurança.

A remuneração maior de juros oferecida por um banco menor acaba sendo um trunfo para fisgar investidores.

LCI e CDB: protegidos em caso de quebra da empresa 

Essa é uma dúvida comum. E se a empresa que eu investi quebrar? Os investidores em renda fixa, entre os quais LCI e CDB, serão ressarcidos em até R$ 250 mil por CPF/CNPJ. 

O Fundo Garantidor de Crédito (FGC) é uma instituição privada criada justamente para socorrer investidores em uma eventual quebra de empresa.

O FGC é importante não apenas para proteger determinados investidores. 

A presença do FGC como suporte financeiro traz mais tranquilidade às pessoas no momento de aplicarem seus recursos e previne o mercado financeiro de uma crise sistemática. 

Previsão dos juros para 2021

Atualmente, a Taxa Básica de Juros (Selic) é de 2% ano. O valor da taxa de juros é definido pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

A pergunta que fica é: mas o que o juro tem a ver com o rendimento da LCI e CDB? Simples: a definição da taxa do CDI é feita com base na taxa de juro.

Ou seja: 100% do CDI com juro anual de 2% ao ano vale menos do que 100% do CDI com juro anual de 5%.

A regra é: com a taxa de juros baixa, os rendimentos da renda fixa deixam de ser tão atrativos. Por outro lado, com taxa de juros alta, a renda fixa volta a ganhar destaque.

Parte do mercado financeiro defende que essa taxa seja elevada em 2021 até para conter a inflação. 

O mercado se divide entre os que acreditam que ela ultrapasse os 3% ao ano e os que creem na manutenção da Selic em 2% ao ano por um bom tempo. Há até quem projete que ela possa chegar a 5% este ano.

Saber sobre a Taxa Selic é importante porque a taxa funciona como um norte para montar uma boa carteira de investimentos.