Kora Saúde e Tegra registram pedido de IPO; André Brandão pretende deixar BB, diz coluna

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Banco do Brasil

A Kora Saúde e a incorporadora Tegra enviaram à CVM nesta sexta-feira (26) pedidos para registro de ofertas públicas iniciais de ações (IPO). Em ambos os casos, as ofertas serão primárias e secundárias. 

A Kora afirma que quer negociar suas ações no Novo Mercado da B3. A companhia informou que tem a intenção de usar os recursos captados na aquisição de ativos e ampliação dos existentes. Além disso, pretende inaugurar novos hospitais e expansão de outros segmentos.

Por outro lado, o pedido da Tegra, antiga Brookfield, marca a volta da empresa à bolsa após quase sete anos. A controladora da empresa, a canadense Brookfield, fechou o capital da incorporadora em 2014. As razões foram a crise da economia brasileira e problemas internos.

Não Perca! Começa hoje o evento que vai transformar sua visão sobre Fundos de Investimento Imobiliário

O nome foi alterado para Tegra em 2017. Por fim, a companhia informou que, do total de recursos captados, 83% serão destinados para compra de terrenos para futuros empreendimentos. Os outros 17% irão para capital de giro.

Governo do Rio Grande do Sul abre sala de informações para privatização da CEEE-GT

A Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura do Estado do Rio Grande do Sul abriu nesta sexta-feira (26) a sala de informações (data room) para potenciais investidores interessados na privatização da Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-GT). Os detalhes estão no site da Secretaria do Meio Ambiente. O preço mínimo do leilão e outras condições de negociação serão divulgadas posteriormente.

Suzano (SUZB3) anuncia alterações na diretoria executiva

A Suzano (SUZB3) anunciou mudanças em sua direção. Entre elas, a transferência de Paulo Machado, de Relações e Gestão Legal, para a diretoria executiva e country manager na China. Ele também fica interinamente à frente dos assuntos de sustentabilidade, após a saída de Malu Pinto e Paiva. 

A área jurídica será acumulada pelo diretor executivo e de Relações com Investidores, Marcelo Bacci. Carlos Aníbal, anteriormente diretor executivo Comercial de Celulose, Logística e Suprimentos, agora é diretor de Florestal, Logística e Suprimentos com a mudança de escopo dos cargos. 

Por fim, a área comercial foi unificada com gente e gestão e está sob a responsabilidade de Leonardo Grimaldi. A diretoria de papel e embalagem agora está sob responsabilidade de Fábio Almeida, que era diretor de operações comerciais de celulose para Europa e Américas.

André Brandão diz a aliados que quer deixar comando do BB (BBAS3)

Conforme colunista da Veja, André Brandão, atual presidente do Banco do Brasil (BBAS3), está avisando seu círculo próximo que vai deixar o comando da estatal. Além disso, já deixou registrado seu desejo no Palácio do Planalto.

Ao contrário do presidente da Petrobras (PETR4), Brandão avalia que tem longo histórico no mercado e não precisa passar por esse tipo de humilhação, afirma a coluna.

O presidente Jair Bolsonaro tem opções para substituir Brandão. O governador de Brasília, Ibaneis Rocha, faz lobby pelo atual presidente do Banco de Brasília, Paulo Henrique Costa.

Do outro lado, na ala militar do governo, a tentativa é o atual secretário-executivo do Ministério da Cidadania, Antônio José Barreto Júnior, que é engenheiro mecatrônico e servidor de carreira do banco estatal.