Klabin (KLBN11) entra na carteira semanal da Ativa

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor

Crédito: Reprodução / Klabin

A Ativa Investimentos divulgou sua carteira para a semana que se encerra no dia 3 de julho e inseriu a Klabin (KLBN11) no lugar da Rumo (RAIL3). Os outros quatro ativos continuam os mesmos: Equatorial (EQTL3), Notre Dame Intermédica (GNDI3), Camil Alimentos (CAML3) e Weg (WEGE3).

Na semana, a carteira da Ativa performou melhor do que o Ibovespa e o IBRX Brasil, com 1,78% contra baixa de 2,83% e 2,75%, respectivamente.

Entretanto, no ano, a carteira ainda está mais negativa do que os índices de referência: menos 32,86% contra baixas de 18,86% e 18,49%, respectivamente.

Contudo, numa perspectiva mais ampla, a Ativa conseguiu alta de 7,01% nos últimos 12 meses, contra baixas de 6,81% do Ibovespa e 5,51% do IBRX Brasil.

Performance da última semana

Dos cinco papéis da carteira semana, apenas os da Rumo (RAIL3) tiveram baixa – de 4,36%.

Todos os outros foram bem na semana encerrada em 26 de junho, especialmente a Weg (WEGE3), com alta de 8,20%.

Os outros tiveram altas de 2,86% (GNDI3), 1,53% (EQTL3) e 0,65% (CAML3).

Expectativa da Ativa

Para o Ibovespa, a Ativa espera uma tendência de alta no curto e médio prazos.

“Porém, o diário exige cautela, pela formação de topo duplo na faixa de 97.700 e o potencial engolfo de alta (candle de viés baixista) montado”, explicam os analistas.

“Perdendo a faixa de 93.200, uma queda para 91.500/90.100 são os úlitmos suportes da alta no curtíssimo prazo. Abaixo disso, uma queda mais intensa se desenhará para 86.900/84.900 e depois 80.900. Para cima, superando os 96.400, ameniza as forças vendedoras, mas para anular, somente acima de 97.700/99.230, onde se fortalece para alcançar os 102.500/105.000”, concluem.

No caso de Klabin (KLBN11), o ativo tem “tendência altista nos dois tempos. Rompendo os 21,16 vamos aos 21,82/22,66 e depois 24,63 (161,8% de fibonacci)”.