Kepler Weber (KEPL3) ganha novo sócio e ações passam a ter mais liquidez

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: pixabay

Conforme divulgado pelo jornal Valor Econômico, a Kepler Weber,  fabricante de silos agrícolas, perdeu esse ano um acionista de décadas, a Previ (fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil).

Quem comprou as ações da Previ foi a gestora Tarpon. O fundo, que já tinha 5% na Kepler em 2018, aumentou sua participação com a compra dos 17,5% que pertencia à Previ. Já no início deste mês, a Tarpon se tornou a maior acionista da empresa ao atingir uma participação de 25% no capital da Kepler.

Com a saída dos sócios ligados ao governo, as ações tendem a ganhar maior liquidez na negociação. Prova disso é o desempenho dos papéis no início deste ano que têm movimentado, em média, R$ 2,4 milhões por dia. Isso corresponde a um aumento de 70% em relação à média de 2019.