Justiça de SP homologa recuperação judicial da Odebrecht: R$ 83 bilhões

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Divulgação / Marcelo D. Sants/ FramePhoto

A Justiça de São Paulo confirmou, no fim da tarde de segunda, a homologação do pedido de recuperação judicial da Odebrecht e mais 11 empresas do grupo.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

De acordo com informações do G1, o pedido já havia sido aprovado em assembleia entre acionistas e credores em abril e, agora, ganhou sinal verde da Justiça.

O pedido de recuperação judicial das empresas do grupo foi apresentado à Vara de Falências do TJ paulista em junho de 2019. Na época, apenas bancos públicos tinham mais de R$ 22 bilhões a receber da Odebrecht.

O total estimado do grupo de empresas da Odebrecht é de mais de R$ 83 bilhões e supera em muito, o maior processo de recuperação judicial no Brasil até o momento – Oi, em 2016 (R$ 64 bilhões).

Odebrecht pensa em reestruturação

O próximo passo da Odebrecht é tentar se recuperar financeiramente e, com isso, pagar credores e débitos fiscais.

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

A decisão determinou que a Justiça acompanhará o processo de recuperação por um período de 2 anos.

Segundo o G1, a reestruturação foi analisada pelo juiz João de Oliveira Rodrigues Filho, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central Cível da capital paulista, que nomeará um administrador judicial para acompanhar o processo.

Odebrecht e a Lava Jato

Pagar credores não será a única obrigação da Odebrecht e suas subsidiárias.

As empresas têm dívidas acumuladas com a administração pública e está envolvida em processos de corrupção, investigados no âmbito da Lava Jato.

O Ministério Público Federal investiga a companhia por pagamento de propina a políticos de diversos partidos e por financiar caixa dois eleitoral.

Executivos da Odebrecht já assinaram acordos de delação premiada, nos quais oferecem informações para o desenvolvimento de outras operações da Polícia Federal.

Planilha de Açõesbaixe e faça sua análise para investir