Julian Assange pode pedir abrigo na França, diz advogado

Rebeca Torres
null
1

Crédito: Espen Moe / Wikimedia Commons

O fundador do Wikileaks Julian Assange está autorizado a pedir abrigo na França, disse o advogado Eric Dupon-Moretti na última sexta-feira (21),. As informações foram divulgadas pelo portal R7.

Detido no Reino Unido, Assange luta para não ser extraditado para os EUA, onde é acusado de praticar espionagem em invasão cibernética.

Com base nisso, Dupond-Moretti afirmou em entrevista à rádio Europe 1 que a equipe de defesa de Assange vai entrar em contato com o presidente francês Emmanuel Mácron, para apresentar parecer solicitando o pedido de abrigo na França.

Simule o rendimento de seus investimentos em Renda Fixa e calcule retorno das aplicações

Assange alega que seu filho mais novo e a mãe do menino são franceses.

Razões de saúde

Os advogados alegam razões de saúde e humanitária para que Assange, 48 anos, seja levado à França. Seus defensores dizem que o cliente vem apresentando sinais de “tortura psicológica”.

“O artigo 53 da Constituição francesa permite à França dar refúgio a um homem que esteja sendo ameaçado por causa de sua liberdade de expressão”, afirma os advogados.

Dezoito acusações

Assange, que passou sete anos encarcerado na Embaixada do Equador em Londres até ser solto em abril do ano passado, é procurado nos EUA por 18 acusações, que incluem conspiração para invadir computadores do governo, além de violação da lei de espionagem. Se condenado, pode passar anos na prisão.

Como ele se encontra preso atualmente em território londrino, a juíza Vanessa Baraitser deverá ouvi-lo na semana que vem para decidir se ele deve ou não ser enviado aos EUA.