Jornal norte-americano revela que Fase 2 do acordo com a China pode não remover todas as tarifas

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Flickr

A Fase 2 do acordo comercial entre China e Estados Unidos pode não incluir o tão esperado fim de todas as tarifas existentes nas negociações entre os dois países – o chamado “big bang”.

Steven Mnuchin, secretário do Tesouro do governo norte-americano, fez essa revelação em entrevista recente ao Wall Street Journal.

“Podemos fazer a Fase 2 e algumas das tarifas caem. Podemos fazer isso sequencialmente ao longo do caminho”, avisou.

Na mesma entrevista, Mnuchin também mandou um recado direto aos italianos e britânicos, similar ao que já tinha feito com os franceses, em relação a um possível sistema de tarifação sobre empresas digitais norte-americanas, como Google e Facebook.

De acordo com o secretário do Tesouro do governo Donald Trump, os Estados Unidos poderão aumentar as tarifas sobre produtos destes países se isso acontecer.

Boris Johnson, eleito primeiro-ministro britânico no último mês de dezembro, prometeu fazer com que grandes empresas multinacionais paguem sua parte justa dos impostos, incluindo a implantação de um imposto sobre produtos digitais.