Jornais | Inflação deverá ser menor, mas ainda acima da meta e Congresso tira metade de verba da Economia

Osni Alves
Jornalista desde 2007. Passou por redações e empresas de comunicação em SC, RJ e MG. E-mail: oalvesj@gmail.com.

A inflação deverá ser menor, mas ainda acima da meta e o Congresso tira metade de verba da Economia. Estas são algumas das manchetes que permeiam o noticiário do dia.

De acordo com o Valor Econômico, a mediana das projeções colhidas na pesquisa realizada pelo jornal prevê um IPCA no teto de tolerância para 2022, que é de 5%.

Também informa que, para cientistas, a vacina reduz morte por covid.

Já o clima muda e ameaça safra recordes.

O Globo destaca que mais de duas mil cidades pedem ajuda federal contra gripe e pandemia. Infecções sobem 477%, e país tem 45 mil casos de Covid em 24 horas.

O jornalão carioca elenca o discurso de Joe Biden, ontem: “Não permitirei um punhal na garganta da democracia”.

O Exército, por sua vez, prevê vacina e punição por fake News.

O Estadão informa que a ômicron e a influenza frustram plano de volta ao escritório. Infecções de funcionários afetam operações da companhia aérea Azul.

São Paulo cancela carnaval de rua e mantém desfiles de sambódromo.

Já a Receita Federal faz operação-padrão na fronteira com a Venezuela. Há fila de caminhões.

A Folha de S.Paulo destaca que a ômicron causa primeira morte, cancela eventos e sobrecarrega saúde. Vítima de 68 anos tinha comorbidade; variante leva a disparada de casos e lota pronto-socorros.

O Congresso tira metade de verba da Economia. Pasta do ministro Paulo Guedes vê o dinheiro minguar e corre atrás de “reforços”.

Internacional

Conforme noticiado pelo Euqueroinvestir.com mais cedo, o indicador mais importante desta sexta é o relatório de folha de pagamento não agrícola, e o mercado estima que a economia tenha criado 422 mil empregos em dezembro, enquanto a taxa de desemprego deverá chegar a 4,1%.

Já os pedidos de seguro-desemprego semanais nos EUA totalizaram 207 mil na semana encerrada em 1º de janeiro, segundo o Departamento do Trabalho. A leitura foi superior aos 195 mil esperados.

Entretanto, o setor privado criou 807 mil empregos em dezembro, o que foi significativamente maior do que os 375 mil esperados.