Jornais | Encarecimento do frete marítimo coloca retomada econômica em suspenso

Osni Alves
Jornalista desde 2007. Passou por redações e empresas de comunicação em SC, RJ e MG. E-mail: oalvesj@gmail.com.

O encarecimento do frete marítimo coloca a retomada econômica mundial em suspenso, diz o Valor Econômico, acrescentando que isso refletirá nos preços ao consumidor em 2022.

Acontece que o custo dos fretes poderá elevar os preços de importações mundiais em 11%, representando para o consumidor aumento de 1,5 ponto percentual até 2023.

Também informa que os países da América Latina implementaram medidas de abertura comercial com redução de tarifas e barreiras, mas os efeitos para o comércio regional foram modestos. Trata-se de um desperdício de sinergias.

Já O Globo elenca que a área desmatada da Amazônia é a maior dos últimos 15 anos, sendo que a floresta perdeu 13.235 km quadrados entre agosto de 2020 e julho deste ano, alta de 22%, e recorde desde 2006. O Estadão também aborda este assunto.

Lockdown na Europa

O avanço da pandemia do novo coronavírus na Europa, considerado a quarta onda, obrigou a Áustria a decretar lockdown pata tentar conter o vírus.

A Alemanha, por sua vez, já sente os efeitos das restrições na economia comum, aquela do dia a dia, e isso chega às bolsas.

O país da chanceler Angela Merkel pode ter contração no Produto Interno Bruto (PIB) do quatro trimestre de 2021, dizem analistas. O petróleo já caiu quase 2% nesta manhã.

Ainda na Alemanha, o Índice de preços ao produtor (PPI) subiu 18,4% em outubro na base anual. Trata-se da leitura mais elevada para a inflação ao produtor desde novembro de 1951. Ante setembro, a alta do PPI foi de 3,8%.

Na França, indicadores apontam que o desemprego sobe 8,1%, e no Reino Unido a confiança do consumidor aumentou inesperadamente para menos 14 ante o menos 17 do mês passado. A surpresa se dá por conta da crise de abastecimento que o país vive que foi se acentuando desde sua saída do Brexit. Trata-se de uma centelha de esperança.