União Europeia diz não ao Mercosul; veja mais notícias

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Parlamento Europeu reprovou o acordo comercial com o Mercosul. Em relatório, o bloco afirma que o acordo de livre comércio União Europeia-Mercosul não pode ser ratificado “como está”. E pede mais compromisso dos países com a “implementação do Acordo de Paris” para sua aprovação.

Em versão anterior à aprovada, havia um trecho que destacava explicitamente que os países do bloco estavam “extremamente preocupados com a política ambiental de Jair Bolsonaro, que vai contra os compromissos do Acordo de Paris, em particular no combate ao aquecimento global e à proteção à biodiversidade”. A informação é do Globo.

Renda Cidadã só sai depois das eleições

Segundo informação do Valor, o impasse em torno do financiamento do Renda Cidadã (ou Renda Brasil) só terá uma solução após as eleições.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Na visão tanto do núcleo político quanto da equipe econômica, o momento é de negociar com lideranças do Congresso alternativas dentro do teto de gastos.

Ontem, o ministro Paulo Guedes disse, categoricamente, que não haverá extensão do auxílio emergencial após dezembro.

Disputa pela presidência da Câmara dificulta avanços do Orçamento

A briga pela presidência da Câmara dos Deputados a partir de 2021 contaminou o ambiente político e dificulta a instalação da Comissão Mista de Orçamento (CMO), informa o Valor.

A comissão ainda precisa votar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), antes da análise do Orçamento. Sem ela, o governo não tem respaldo legal para aprovar os gastos.

Fux contra-ataca em favor da Lava-Jato

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, decidiu que o plenário passará a julgar os inquéritos e ações penais que antes tramitavam nas duas turmas da Corte.

A decisão é vista com uma contra-ofensiva às decisões recentes que tiraram força das decisões da Lava-Jato e a nova composição da Segunda Turma, encarregada de julgar os casos da operação. Com a saída de Celso de Mello por aposentadoria, a maioria seria dos que tradicionalmente se colocam contrários à Lava-Jato.

TCU libera espaço no teto para pagar abono

O plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou o governo a utilizar brechas do teto de gastos para realizar despesas com o abono salarial e o seguro-desemprego.

O aval foi dado após o Ministério da Economia recorrer de uma decisão anterior, que restringia a aplicação das sobras a despesas exclusivas de combate à Covid-19, informa o Valor.

Pacote da aviação não beneficia companhias aéreas

O governo federal lançou um pacote com 52 medidas para simplificar regras da aviação geral. No entanto, não há ações voltadas às grandes companhias aéreas.

Indicação de Jorge Oliveira para o TCU é confirmada

O presidente Jair Bolsonaro formalizou a indicação do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, para o Tribunal de Contas da União (TCU). Se aprovado pelo Senado, ele ocupará a vaga do atual presidente da Corte, José Múcio Monteiro, que se aposenta.

Atualização Covid-19

O Brasil registrou 31.404 casos de coronavírus nas últimas 24 horas, segundo o consórcio de imprensa. O total ultrapassa 5,002 milhões de infectados. Foram registradas 733 mortes no último dia, de um total de 148.304.