União Europeia diz não ao Mercosul; veja mais notícias

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Parlamento Europeu reprovou o acordo comercial com o Mercosul. Em relatório, o bloco afirma que o acordo de livre comércio União Europeia-Mercosul não pode ser ratificado “como está”. E pede mais compromisso dos países com a “implementação do Acordo de Paris” para sua aprovação.

Em versão anterior à aprovada, havia um trecho que destacava explicitamente que os países do bloco estavam “extremamente preocupados com a política ambiental de Jair Bolsonaro, que vai contra os compromissos do Acordo de Paris, em particular no combate ao aquecimento global e à proteção à biodiversidade”. A informação é do Globo.

Renda Cidadã só sai depois das eleições

Segundo informação do Valor, o impasse em torno do financiamento do Renda Cidadã (ou Renda Brasil) só terá uma solução após as eleições.

Melhores Momentos, Palestras e Experts que marcaram presença no FII Summit

Na visão tanto do núcleo político quanto da equipe econômica, o momento é de negociar com lideranças do Congresso alternativas dentro do teto de gastos.

Ontem, o ministro Paulo Guedes disse, categoricamente, que não haverá extensão do auxílio emergencial após dezembro.

Disputa pela presidência da Câmara dificulta avanços do Orçamento

A briga pela presidência da Câmara dos Deputados a partir de 2021 contaminou o ambiente político e dificulta a instalação da Comissão Mista de Orçamento (CMO), informa o Valor.

A comissão ainda precisa votar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), antes da análise do Orçamento. Sem ela, o governo não tem respaldo legal para aprovar os gastos.

Fux contra-ataca em favor da Lava-Jato

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, decidiu que o plenário passará a julgar os inquéritos e ações penais que antes tramitavam nas duas turmas da Corte.

A decisão é vista com uma contra-ofensiva às decisões recentes que tiraram força das decisões da Lava-Jato e a nova composição da Segunda Turma, encarregada de julgar os casos da operação. Com a saída de Celso de Mello por aposentadoria, a maioria seria dos que tradicionalmente se colocam contrários à Lava-Jato.

TCU libera espaço no teto para pagar abono

O plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou o governo a utilizar brechas do teto de gastos para realizar despesas com o abono salarial e o seguro-desemprego.

O aval foi dado após o Ministério da Economia recorrer de uma decisão anterior, que restringia a aplicação das sobras a despesas exclusivas de combate à Covid-19, informa o Valor.

Pacote da aviação não beneficia companhias aéreas

O governo federal lançou um pacote com 52 medidas para simplificar regras da aviação geral. No entanto, não há ações voltadas às grandes companhias aéreas.

Indicação de Jorge Oliveira para o TCU é confirmada

O presidente Jair Bolsonaro formalizou a indicação do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, para o Tribunal de Contas da União (TCU). Se aprovado pelo Senado, ele ocupará a vaga do atual presidente da Corte, José Múcio Monteiro, que se aposenta.

Atualização Covid-19

O Brasil registrou 31.404 casos de coronavírus nas últimas 24 horas, segundo o consórcio de imprensa. O total ultrapassa 5,002 milhões de infectados. Foram registradas 733 mortes no último dia, de um total de 148.304.