Fuga de investidores deve dobrar este ano; veja mais notícias

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

A fuga de investidores estrangeiros do Brasil deve dobrar em 2020 na comparação com o ano passado. O saldo deve ficar negativo em US$ 24 bilhões em 2020, ante US$ 11 bilhões de 2019, aponta a Folha.

Segundo previsões do Institute of International Finance, que reúne 450 bancos e fundos de investimento em 70 países, as maiores saídas estão concentradas em ações e títulos de empresas, que somariam US$ 18 bilhões. No ano passado, as retiradas foram de US$ 2,7 bilhões.

Governo quer novo orçamento de guerra em 2021

O governo vai tentar incorporar dispositivos do chamado “orçamento de guerra” no texto da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do pacto federativo. A medida abriria uma brecha para o aumento de gastos em 2021 com a justificativa de combate à Covid-19.

Conheça os Fundos Imobiliários para investir em Outubro

O tema já está em discussão pelas lideranças do Congresso, aponta o Estadão.

Empresários  se unem por reformas

De acordo com o Valor, um grupo de CEOs de grandes empresas está se articulando para cobrar do governo um compromisso público com a agenda de reformas administrativa e tributária. Estão no grupo Horácio Piva, da Klabin, e Pedro Wongtschowski, do grupo Ultra, entre outros.

Juros pagos pelo setor privado sobem, mesmo com queda da Selic

Estudo da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio) aponta que os juros cobrados do setor privado aumentaram no ano, apesar da Selic baixa. A taxa média semestral efetivamente cobrada neste ano foi de 21,3% (3,27% ao mês), queda de 7,7% ante o primeiro semestre de 2019.

Confira principais Ações para investir em Outubro

Renda Brasil deve ser ressuscitado perto das eleições presidenciais

Segundo o Valor, o projeto do Renda Brasil não morreu e deve ser retomado pelo governo entre o final de 2021 e início de 2022, de olho nas eleições presidenciais.

Desta forma, o Renda Cidadã seria uma “aterrissagem suave” para o fim do auxílio emergencial, mas o grande pacote assistencial em busca de votos seria mesmo o Renda Brasil.

Especulações quanto a Guedes prosseguem, diz Valor

Segundo o Valor, o ministro Paulo Guedes, da Economia, segue sendo alvo de especulações sobre sua permanência ou não no governo.

Apesar da trégua do ministro com o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) e a aparente “paz” selada com a ala política, algumas fontes em Brasília dão conta de que segue um movimento de “fritura”, já que os políticos estariam insistindo na ampliação dos investimentos públicos, ao que Guedes se coloca contrário.

O presidente Jair Bolsonaro também estaria tranquilo quanto à exoneração do “superministro”, já que este tipo de movimento se mostrou tranquilamente contornável desde a saída de Sérgio Moro da Justiça.

Negociações sobre 5G são fundamentais na relação Brasil-China, diz embaixador

Segundo o embaixador da China no Brasil, YangWanming, a decisão do Brasil de permitir ou não que a Huawei Technologies forneça tecnologia para sua futura rede 5G ajudará a definir o relacionamento do país com a China.

“A questão não é se a Huawei vai ganhar ou não uma licitação. O que está em jogo é se um país consegue criar para todas as empresas regras de mercado e ambiente de negócios nos parâmetros de abertura, imparcialidade e não discriminação”, disse em entrevista ao Valor.

Kassio Marques diz que erro no currículo foi falha na tradução

Escolhido por Jair Bolsonaro para a vaga de Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal (STF), Kassio Marques justificou erros de seu currículo a erros de tradução. Ele foi acusado de incluir no currículo uma pós-graduação na Espanha que não cursou.

Atualização Covid-19

O Brasil registrou 30.454 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo o consórcio de veículos de imprensa. No total, são 4,97 milhões de infectados. As mortes foram 798, chegando a 147.571 óbitos.