Jornais argentinos destacam o “golpe de Trump das exportações”

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Reprodução/La Nacion

Os tweets do presidente Donald Trump sobre a retomada de tarifas de importação sobre o aço e o alumínio de Brasil e Argentina e a acusação os dois países de desvalorizarem “maciçamente” suas moedas causou mais estragos do que ele poderia imaginar – ou já imaginava.

A decisão do presidente norte-americano em retomar as tarifas de importações sobre aço e alumínio de Brasil e Argentina repercutiu imediatamente nos jornais sul-americanos.

O Clarín, um dos principais veículos de comunicação da Argentina, destacou a posição de Donald Trump e citou que Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, deverá tomar uma atitude para tentar reverter a determinação do presidente norte-americano.

Segundo o Clarin, Bolsonaro tentará um contato direto por telefone com Trump, com quem diz “ter um canal aberto”, para conversar sobre o retorno dessa barreira.

Dúvida sobre futuro relacionamento

O La Nación, outro importante veículo argentino, também destacou negativamente a atitude de Trump e colocou em dúvida o futuro relacionamento entre o norte-americano e o recém-eleito presidente do país, Alberto Fernández.

“A decisão de Trump chega pouco mais de uma semana após a troca de governo do país. Depois de quatro anos de boa relação com Mauricio Macri, a quem conhecia desde quando eram empresários, agora é incerto o tipo de vínculo que terá com o futuro Chefe de Estado”, diz a publicação.