Joe Biden ganha apoio de ex-rivais às vésperas da Super Terça

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Twitter

A Super Terça promete ter uma batalha dura entre os Democratas Joe Biden, Bernie Sanders e Michael Bloomberg.

Os três são apontados como principais rivais na briga para enfrentar Donald Trump nas eleições americanas.

Biden recebeu na segunda-feira (2) o apoio de três ex-rivais: Pete Buttigieg, Amy Klobuchar e Beto O’Rourke.

Os três resolveram apoiar o ex-vice-presidente para brecar a escalada de Bernie Sanders às vésperas da Super Terça.

Buttigieg e Klobuchar desistiram da corrida nas últimas 24 horas e apoiaram Biden, cuja vitória decisiva na Carolina do Sul no sábado parece ter cimentado seu status de alternativa moderada ao socialismo democrático de Sanders.

Klobuchar anunciou sua saída da corrida no comício de Biden e apresentou o ex-vice-presidente dizendo:

“Não consigo pensar em uma maneira melhor de terminar minha campanha do que ingressar na dele”.

Biden falou longamente sobre a união não apenas do Partido Democrata, mas também do país.

“Estamos baseados em uma ideia”, disse ele após recitar o preâmbulo da Constituição. “Nunca cumprimos plenamente, mas nunca nos afastamos dela como esse presidente fez.”

Mais apoio

Harry Reid, ex-líder do Senado, também declarou abertamente seu apoio a Joe Biden e aprovou a união dos ex-candidatos.

“Os democratas precisam de um candidato capaz de reunir a maior e mais diversificada coalizão possível para derrotar Trump e liderar nosso país”, bradou. “Esse candidato é Joe Biden”.

Biden x Bloomberg

A principal briga do ex-presidente antes de ser efetivamente confirmado como candidato democrata é contra o milionário Michael Bloomberg.

Pela primeira vez na rota de colisão direta contra o rival, o ex-presidente contou com o trabalho de seu time para ganhar força.

Sua equipe trouxe à tona as antigas críticas de Bloomberg ao ex-presidente Barack Obama.

O time salientou o papel do ex-vice-presidente na aprovação da Lei de Acesso à Saúde, a Lei de Recuperação e a proibição das armas de assalto.

Agora, a ideia é cativar os eleitores afro-americanos, que chegaram a pender para o lado de Bloomberg no final do ano passado.

“Sei que alguns de vocês flertaram, namoraram e riram com Mike Bloomberg”, disse Levar Stoney, prefeito de Richmond, na Virgínia, à BBC.

“Bem, tudo está perdoado, tudo está perdoado, porque agora é hora de voltar para o Joe”, concluiu.

Bloomberg injeta milhões diariamente em campanha

Empresariado teme Bernie S