JHSF (JHSF3) adquire Complexo Boa Vista; Bradespar (BRAP4) paga dividendos

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

A JHSF (JHSF3) informou que adquiriu o Complexo da Boa Vista, em São Paulo, por R$ 140 milhões.

A empresa exerceu nesta segunda-feira (12) a opção para compra de área adicional de 6,1 milhões de metros quadrados.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

O Imóvel fica localizado em área contígua ao Boa Vista Estates, empreendimento da JHSF que teve seu pré-lançamento realizado no mês de junho de 2021.

A área será destinada a implantação do quarto empreendimento do Complexo Boa Vista, do qual já fazem parte a Fazenda Boa Vista, o Boa Vista Village e o Boa Vista Estates.

“A adição dessa relevante área ao banco de terrenos que a Companhia mantém, reforça o compromisso com a qualidade, o investimento de longo prazo, o desenvolvimento da região e consolida, ainda mais, o Complexo Boa Vista como um dos principais destinos de residências de alta renda no Brasil”, diz a JHSF.

Bradespar (BRAP4) paga dividendos

A Bradespar (BRAP4) anunciou o pagamento de dividendos no valor total de R$ 600.000.000.

Assim, serão pagos aos acionistas R$1,618907527 por ação ordinária e R$ 1,780798280 por ação preferencial.

Os dividendos serão pagos a quem tiver ações até 15 de julho de 2021.

Os valores serão pagos em 26 de julho.

Moura Dubeux (MDNE3) prévia operacional

Em prévia operacional divulgada nesta segunda-feira (12), Moura Dubeux (MDNE3) relatou que obteve R$ 579 milhões em VGV bruto e R$ 501 milhões em VGV líquido com os 7 lançamentos do 2TRI21.

Assim, a MD atingiu R$ 592 milhões de lançamentos no 1º semestre de 2021.

Segundo a empresa, o 2TRI21 foi o melhor trimestre da história da empresa em vendas, desde o IPO. Foram R$ 383 milhões em vendas líquidas.

No trimestre os distratos representaram 5,6% das vendas e adesões brutas.

No 2TRI21 foram R$ 24 milhões em geração de caixa e R$ 40 milhões no acumulado do ano.

Unipar Carbocloro (UNIP6) conclui 3ª emissão de notas promissórias

A Unipar Carbocloro (UNIP6) anunciou a conclusão da terceira emissão de notas promissórias.

A emissão é de distribuição pública com esforços restritos, no total de 100 (cem) NPs, com valor nominal unitário de R$ 2.000.000, perfazendo o montante total de R$ 200.000.000.

O vencimento da primeira série é em 08 de julho de 2024 e da segunda série em 08 de julho de 2026.

As NPs fazem jus ao pagamento de juros remuneratórios correspondentes a 100% da variação acumulada das taxas médias diárias do DI, acrescida de uma sobretaxa (spread) de 1,70% a.a. para a primeira série e 2,00% a.a. para a segunda série.

Os recursos líquidos captados serão integralmente utilizados, no âmbito dos negócios de gestão ordinária da companhia.

Ferbasa (FESA4) anuncia venda de parte da Fazenda Alvorada

A Ferbasa (FESA4) comunicou a venda de parte da Fazenda Alvorada, de Maracas, Bahia. Com 60,5549 hectares, o terreno foi vendido por R$ 90.000.

A matéria foi aprovada pelo conselho e a diretoria executiva autorizou a tomar as providências necessárias para venda do imóvel e regularização da permuta fundiária anteriormente feita entre a Fazenda São Francisco e a Fazenda Alvorada, ambas localizadas na mesma região de Maracás/BA.

BB Seguridade (BBSE3) recebe renúncia do presidente e do vice do conselho

A BB Seguridade (BBSE3) comunicou que recebeu a renúncia do presidente do conselho de administração Carlos Motta dos Santos e do vice-presidente do conselho, Mauro Ribeiro Neto.

Em substituição aos membros que renunciaram, o acionista controlador indicou e o Conselho de Administração da companhia nomeou Marcelo Cavalcante de Oliveira Lima, atual vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios e Tecnologia do Banco do Brasil, para exercer a função de Presidente do Conselho de Administração.

Ana Paula Teixeira de Sousa, atual Vice-Presidente de Controles Internos e Gestão de Riscos do Banco do Brasil, assume a função de Vice-Presidente do Conselho de Administração. Os mandatos vão até 2023.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3