Jerome Powell: conheça a trajetória do presidente do Fed

Osni Alves
Jornalista desde 2007. Passou por redações e empresas de comunicação em SC, RJ e MG. E-mail: oalvesj@gmail.com.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, indicou Jerome Powell, 68, para um novo mandato à frente do Federal Reserve, espécie de Banco Central (BC). Ele precisa ainda ser confirmado pelo Senado para acessar, novamente, a direção-executiva da instituição.

Powell estava na função desde 2018 quando foi indicado pelo presidente Donald Trump e, concorria com ele, na indicação desta segunda (22), a ex-subsecretária do Tesouro dos Estados Unidos para Assuntos Internacionais Lael Brainard.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

À frente do FED, Powell poderá dar sequência àquela que é considerada a maior reformulação da política monetária do país desde a década de 1970. As mudanças se fazem ainda mais importantes em um cenário de inflação em elevação, algo que não é tão comum nos EUA.

Vale lembrar que o governo norte-americano injetou US$ 2 trilhões na economia a partir de março de 2020, para diminuir os impactos da pandemia do novo coronavírus sobre empresas e empregos.

Agora, as autoridades monetárias precisam “passar o aspirador de pó” na casa para retirar o excesso de dinheiro em circulação, que é uma das razões pela qual a inflação está subindo, e esta é uma das atribuições do diretor-presidente do FED.

 

Powell, FED e FMI

Para se ter ideia da bronca, na última quinta (18) o porta-voz do Fundo Monetário Internacional (FMI), Gerry Rice, disse que níveis elevados de inflação de maneira contínua podem exigir uma resposta antecipada da política monetária nos Estados Unidos.

Assim, para segurar o tranco Powell precisará contribuir, juntamente com o governo e autarquias norte-americanas, para gerar emprego e renda, regular as taxas e impostos aos níveis mais adequados mediante o cenário atual e, assim, colocar a economia de volta aos trilhos.

Quem comandou o FED antes de Powell foi a economista Janet Yellen, escolhida pelo então presidente norte-americano Barack Obama.

Letras, livros e louros

Natural de Washington (DC), Powell é Doutor em direito pela Universidade de Georgetown, e atuou como membro do conselho do Sistema de Reserva Federal antes de ser empossado como presidente da instituição.

Filho de uma advogada e neto de um professor do departamento de direito da Universidade de Georgetown, ele é bacharel em artes e política pela Universidade de Princeton. Seu doutorado foi pela Georgetown, onde exerceu ainda a função de editor-chefe da Georgetown Law Journal.

Após formado, foi assistente legislativo do então senador da Pensilvânia Richard Schweikert, do Partido Republicano, e em 1979 assumiu como assistente do juiz Ellsworth Van Graafeiland, do United States Court of Appeals for the Second Circuit, uma das treze cortes de apelação do país.

De 1981 e 1983 exerceu o trabalho de advogado no escritório Davis Polk & Wardwell e, na sequência, integrou o time de advogados da Werbel & McMillen. Tem passagem ainda pelo banco de investimentos Dillon, Read & Co., onde chegou a vice-presidente.

De 1991 a 1993 atuou no tesouro dos Estados Unidos, onde foi também subsecretário do tesouro para finanças internas. Depois de 93 trabalhou no setor administrativo da Bankers Trust.

Já em 1997 tornou-se sócio da The Carlyle Group, uma multinacional de private equity, e saiu em 2005 para fundar a Severn Capital Partners, especializada em investir no setor industrial.

Em 2008 tornou-se sócio da Global Environment Fund, grupo de private equity e capital de risco, que investe em energia sustentável. Também foi professor-visitante do Bipartisan Policy Center.