JBS (JBSS3) registra lucro de R$ 3,37 bi no 2TRI20, alta de 54,8%

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Divulgação JBS

A JBS (JBSS3) reportou, nesta quinta-feira (13), um lucro de R$ 3,37 bilhões referente aos resultados do segundo trimestre de 2020.

Os números representam um avanço de 56% sobre os lucros de R$ 2,18 bilhões no mesmo período do ano passado.

No trimestre anterior, a companhia havia registrado um prejuízo de R$ 5,93 bilhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado somou R$ 10,49 bilhões no período, um avanço de 10% na base anual.

Na comparação com o trimestre anterior, a alta foi de 6,9%. Já a margem Ebitda ajustado no trimestre atingiu 15,5%.

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

Receita avança 32,9%

A receita líquida somou R$ 67,58 bilhões no segundo trimestre de 2020, uma elevação de 32,9% ante o mesmo período de 2019, com R$ 50,84 bilhões.

Segundo a Companhia , todas as unidades de negócios registraram crescimento na receita em reais.

“No trimestre, aproximadamente 74% das vendas globais da JBS foram realizadas nos mercados domésticos em que a Companhia atua e 26% por meio de exportações”, informou a JBS no balanço divulgado nesta quinta-feira (13).

O lucro bruto subiu 83,1% no segundo trimestre, para R$ 14,53 bilhões.

Resultado Financeiro

No segundo trimestre de 2020, a despesa financeira da dívida líquida foi de R$1,1 bilhão. Esse valor corresponde a US$ 195,3 milhões e representa uma redução de US$ 29,8 milhões (-13,3%) em relação ao segundo trimestre de 2019.

Já o resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 3,229 bilhões. No mesmo período do ano passado, foi negativo em R$ 9,08 bilhões.

Caixa e endividamento

A JBS encerrou junho de 2020 com R$ 22,7 bilhões em caixa. A companhia informou ainda que possui US$1,6 bilhão disponível em linhas de crédito rotativas e garantidas, equivalentes a R$8,6 bilhões (câmbio de fechamento do trimestre).

Isso confere à JBS uma disponibilidade total de R$31,3 bilhões, mais de seis vezes a sua dívida de curto prazo.

A dívida líquida da Companhia encerrou junho em R$ 54,5 bilhões, alta de 21,8% frente junho de 2019, com R$ 44,8 bilhões.

A alavancagem financeira, medida pela relação dívida líquida / Ebtida ajustado, ficou em 2,10 vezes (em reais) no final de junho, uma diminuição de 0,68x em relação ao mesmo trimestre de 2019.

Consulte nossa planilha de projeção de rentabilidade