Itaú (ITUB4) precifica notas no valor de US$ 500 mi; Movida (MOVI3) pagará JCP

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Itaú-Divulgação

O Itaú (ITUB4) comunicou nesta terça-feira (12) a precificação de notas subordinadas nível 2 no valor de US$ 500 milhões. Elas serão emitidas em 15 de janeiro e terão vencimento em 10 anos e 3 meses.

O Itaú Unibanco também informou o lançamento do seu Sustainability Finance Framework que define as diretrizes para a emissão de títulos verdes, sociais e sustentáveis.

Os recursos serão destinados para financiar ou refinanciar projetos verdes e/ou sociais elegíveis de acordo com o seu Sustainability Finance Framework, disponível no site de relações com investidores.

As notas serão emitidas à taxa fixa de 3.875%, que será válida por 5 anos e 3 meses da data  da emissão.

Segundo o Itaú, a partir dessa data, inclusive, a taxa de juros será recalculada por mais 5 anos com base na taxa de juros dos títulos emitidos pelo Tesouro dos Estados Unidos da América para o mesmo período.

O preço de oferta das notas foi de 99.671%, o que resultará aos investidores o retorno de 3.95%.

A companhia poderá recomprar as notas a partir do 5º ano até o 5º ano e 3 meses da data da emissão, estando sujeita à aprovação prévia do Banco Central do Brasil.

Movida (MOVI3) anuncia pagamento de JCP no valor de R$ 44 milhões

A Movida (MOVI3) informou que pagará R$ 44 milhões em JCP (juros sobre capital próprio).

Por ação cada acionista que tiver os papéis até 5 de janeiro de 2021 deverá receber R$ 0,147.

Mas o valor por ação dos juros sobre o capital próprio poderá ser ajustado em razão do Programa de Recompra de Ações da companhia em andamento.

O pagamento será feito em 1º de julho de 2021, data ainda a ser validada na assembleia geral de 28 de abril.

BB (BBAS3): agências para atendimento ao agronegócio

O Banco do Brasil (BB) anunciou hoje (12) a abertura de 14 novas agências para atuar no setor do agronegócio.

Segundo a instituição, o setor representa 26% da carteira de crédito total do banco e teve crescimento de 4,2% nos últimos 12 meses, chegando a R$ 190,5 bilhões.

O BB anunciou o pagamento de R$ 103 bilhões para o plano Safra 20/21, valor 11% superior ao da safra anterior.

”Mesmo diante dos fortes impactos econômicos causadas pela crise da covid-19, as operações de investimento tiveram destaque, com contratação 41% superior ao mesmo período da Safra 19/20, enquanto as de custeio apresentaram aumento de 15%”, destaca nota do banco.

No setor do agronegócio, o BB intensificará a atuação em 243 municípios e 71 mil clientes contarão com atendimento especializado.

“A iniciativa faz parte de um conjunto de ações lançadas nesta semana para reforçar a competividade e a eficiência operacional do BB, buscando a melhoria da experiência e satisfação do cliente”, diz o comunicado;

*Com Agência Brasil