Presidente da IRB (IRBR3): “Havia sinistros que não estavam nos registros”

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação

O presidente interino da IRB, Antônio Cássio dos Santos, iniciou a teleconferência nesta terça-feira (30) afirmando que “não existe forma certa de fazer a coisa errada”, ao se referir às demonstrações contábeis.

Santos informou que existiam sinistros que não estavam lançados nos registros da empresa.

O executivo acrescentou que a companhia tem três obstinações, que são transparência, prestação de serviço de qualidade e geração de valor para companhia e acionistas.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Reforço da governança

O vice-presidente executivo, financeiro e de relações com investidores, Werner Romera Süffert, destacou o reforço da governança corporativa da companhia, por meio da desconcentração do poder de decisão nas mãos de poucas pessoas.

Süffert também informou que o lucro líquido de 2019 foi impulsionado pelo ganho de capital com a venda de shoppings, o que não é o core business da empresa.

Provisões técnicas

Wilson Toneto, diretor vice-presidente executivo de riscos e conformidade, disse que a empresa está trabalhando para solucionar a insuficiência de liquidez regulatória constatada no trimestre.

O executivo explicou que houve aumento das provisões técnicas e redução dos saldos dos ativos redutores da necessidade de cobertura.

A IRB busca soluções de curto, médio e longo prazo para restabelecimento da cobertura das provisões técnicas demandado pela Susep.

O Conselho de Administração da IRB aprovou a contratação de dois bancos para avaliar alternativas para cumprimento de regras da Susep quanto ao volume de ativos garantidores para a cobertura de Provisões Técnicas e de liquidez regulatória.

Sendo assim, uma das alternativas seria o aumento de capital da empresa.

Lucro cai 92%

A IRB (IRBR3) apresentou seus resultados do primeiro trimestre de 2020, nesta terça-feira (30). O lucro líquido totalizou R$ 13,8 milhões, um desempenho 92% inferior ao reportado no mesmo período de 2019.

O lucro do primeiro trimestre de 2019 foi revisado de R$ 350,4 milhões para R$ 177,8 milhões.

O resultado financeiro foi uma despesa de R$ 103,9 milhões, revertendo o resultado positivo de R$ 190,2 milhões.

O prêmio emitido pela IRB somou R$ 1,996 bilhão, um aumento de 13%. Já Em prêmios ganhos houve um incremento de 20,8%, atingindo R$ 1,499 bilhão no período.

Enquanto, o pagamento de sinistros totalizou R$ 1,147 bilhão no período, um crescimento 19,6% no mesmo intervalo de 2019.

O patrimônio líquido do IRB encerrou o trimestre em R$ 3,56 bilhões, uma redução de 9,6%.