IRB (IRBR3) reporta prejuízo de R$ 62 mi em julho em dados preliminares

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Divulgação

O IRB Brasil Re registrou prejuízo líquido de R$ 62,4 milhões em julho, de acordo com dados não auditados divulgados nesta quarta-feira (23) pela companhia. Segundo o comunicado, sem o impacto dos negócios descontinuados, haveria um lucro líquido de R$ 36 milhões.

A despesa com sinistros alcançou R$ 638,3 milhões, com um índice de sinistralidade (relação entre a despesa com sinistros e o prêmio ganho) de 97,1% no mês de julho. O número reverte a tendência observada no primeiro semestre de 2020 pelo IRB, que apresentou uma sinistralidade de 108%.

Quando excluídos os sinistros dos negócios descontinuados em julho, ou seja, que tiveram seus contratos cancelados ou não renovados, esse índice cai para 73,2%.

Confira principais Ações para investir em Outubro

Já o resultado de subscrição foi negativo em R$ 137,6 milhões, devido à elevada sinistralidade dos negócios descontinuados, no valor de R$ 160,8 milhões.

O índice de despesas administrativas fechou em 3,4%, enquanto o Índice de Resultado Financeiro e Patrimonial alcançou 10% do prêmio ganho.  

Faturamento

O faturamento bruto (prêmio) do IRB atingiu R$ 1,546,6 bilhão em julho, o que representa um crescimento de 100,8% em relação a julho do ano passado. Deste total, R$ 1,015 bilhão é do Brasil e R$ 531,6 milhões do exterior.

Monitore completamente sua Carteira

No Brasil, o crescimento foi de 133% em relação a julho de 2019 e, no exterior, de 58,8%. O faturamento de competência de julho/20 (prêmio ganho) totalizou o R$ 657,6 milhões.

“Seguimos firmes com o objetivo de dar total transparência aos dados da companhia. Trabalhamos no caminho do crescimento sustentável, com a geração de valor de longo prazo”, diz o CEO e presidente do Conselho de Administração do IRB Brasil RE, Antonio Cassio dos Santos.

O IRB amarga forte desvalorização de suas ações nesse ano, após revelações sobre inconsistências em dados em seu balanço, que detonaram uma crise de confiança em relação à companhia, e depois em razão da pandemia. Nesse intervalo, a empresa mudou toda a diretoria e realizou uma emissão de capital, com objetivo de retomar o rumo. Desde janeiro até o fechamento de ontem, os papéis acumulam uma perda de 85,5%.