Irani (RANI3) reverte prejuízo em lucro de R$ 15,3 mi no 2TRI

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução / Facebook / Irani

A Irani (RANI3) reportou nesta sexta-feira (31) um lucro líquido de R$ 15,3 milhões no segundo trimestre, revertendo o prejuízo de R$ 3,3 milhões no mesmo período de 2019.

De acordo com a empresa, o desempenho foi puxado pelo crescimento da receita líquida de vendas, a variação positiva do valor justo dos ativos biológicos e a melhor margem das exportações em função da valorização do dólar e do euro frente ao real.

O resultado financeiro foi positivo em R$ 17,2 milhões, uma redução de 38,7% em relação ao segundo trimestre de 2019.

A Irani explica que a redução foi devida a liquidação de operações em dólar e consequente baixa contábil do hedge accounting, emissão de debêntures verdes com prazo de vencimento de 6 anos e 4 de carência e a venda de ativos, além dos créditos fiscais que a companhia teve direito em função do trânsito em julgado de ação judicial de exclusão de ICMS da Base do PIS e da COFINS.

Ebtida

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebtida, na sigla em inglês) ajustado somou R$ 55,6 milhões, um aumento de 19,1%.

A margem Ebtida ajustado atingiu 23,1%, alta 2,3 pontos percentuais.

Receita sobe 7,2%

A receita líquida no registrou aumento de 7,2% no segundo trimestre, totalizando R$ 240,9 milhões.

De acordo com a Irani, o desempenho foi puxado principalmente em função do aumento do volume de vendas do segmento Papel para Embalagens, aliado a valorização do dólar e euro em relação ao Real nas vendas para o mercado externo.

O lucro bruto subiu 25,9% no trimestre, atingindo R$ 78,9 milhões.

Já a margem bruta ficou em 32,8%, alta de 4,9 pontos percentuais.

Conforme a Irani, o resultado foi influenciado principalmente pelo crescimento da receita líquida especialmente no mercado externo, e ainda em função da variação positiva do valor justo dos ativos biológicos no período.

Investimentos

A Irani investiu R$ 14,1 milhões no segundo trimestre de 2020.

Enquanto, no primeiro semestre a cifra ultrapassou os R$ 33 milhões.

Os aportes oram basicamente direcionados para reflorestamento, manutenção e melhorias das estruturas físicas, software, máquinas e equipamentos da companhia.

Dívida Irani

A dívida líquida da Irani encerrou o segundo trimestre em R$ 678,7 milhões, queda de 7,1%.

A alavancagem financeira, medida pela relação dívida líquida/Ebtida ajustado foi de 2,94 vezes em junho de 2020. Um ano antes, a alavancagem financeira era de 3,31 vezes.

Segundo a empresa, a variação é oriunda da melhora do Ebtida ajustado e consequente redução da dívida líquida da companhia.