Irã precisa voltar a respeitar acordo nuclear, alertam França, Alemanha e Reino Unido

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Créditos: Boris Streubel / Getty Images

França, Alemanha e Reino Unido, três das principais forças da União Europeia, se juntaram no domingo (12) para fazerem um apelo conjunto ao governo do Irã.

“Hoje nossa mensagem é clara: continuamos apegados” ao acordo sobre a questão nuclear “e à sua preservação; instamos o Irã a suspender todas as medidas incompatíveis com o acordo; pedimos ao Irã que se abstenha de qualquer nova ação violenta ou de proliferação; e continuamos prontos para dialogar com o Irã nesta base para preservar a estabilidade da região”, diz o comunicado replicado pela Agência de notícias AFP.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Os três países assinaram em 2015, juntamente com Estados Unidos, China e Rússia, o acordo com o Irã sobre o programa nucelar do país do Oriente Médio.

Trump retirou os EUA, unilateralmente, em 2018, e tentou fazer com que os países europeus seguissem o mesmo caminho, mas França, Alemanha e Reino Unido se recusaram.

“Expressamos nossa profunda preocupação com as ações empreendidas pelo Irã, violando seus compromissos desde julho de 2019. Essas ações devem ser anuladas e é essencial que o Irã volte ao pleno respeito por suas obrigações com o acordo”, completa o comunicado emitido pelas três nações da UE.

Aumento da tensão

A preocupação de franceses, alemães e britânicos aumentou depois que o Irã, em 5 de janeiro, dois dias após o ataque norte-americano que matou Qassem Suleimani, anunciou que se desvinculava de qualquer compromisso em limitar “o número de suas centrífugas”, usado para produzir combustível nuclear.

Em outra parte do comunicado, os países europeus se disseram “prontos para agir em favor da desescalada e da estabilidade na região”.

 

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3