Irã: Presidente diz que país enriquece mais urânio do que antes do acordo de 2015

Daniele Andrade
Jornalista formada pela Universidade Positivo, pós-graduada em Mídias Digitais. Atualmente cursa bacharel em História. Gosta de produzir reportagens sobre política tanto nacional quanto internacional, economia e tecnologia.
1

Crédito: Televisão Nacional Iraniana/Agência Brasil

Na quinta-feira (16) a noite, o presidente do Irã, Hassan Rohani discursou na TV do país. Em que noticiou, que o Irã está enriquecendo urânio mais do que antes de assinar o acordo nuclear com as potências europeias e os EUA.  Segundo informações da Reuters, relatórios recentes da agência nuclear da ONU noticiaram que Teerã, capital do Irã, excedeu alguns limites. Mas que, sugerem ainda estar longe de retornar a uma capacidade de pré-negociação.

O acordo citado por Rohani, presidente do Irã, estabelecia limites para a realização do programa nuclear do país. Em troca do acordo aos limites, os Estados Unidos e outros países ocidentais iriam acabar com sanções ao Teerã. Diminuindo seus isolamento como país.

Na terça-feira (14), França, Alemanha e Reino Unido acionaram um mecanismo, segundo a Reuters. Para questionar o descumprimento dos termos combinados com o Irã. O mecanismo de disputa acionado pelos países ocidentais, funciona como uma acusação formal. De que o Irã, violou os termos do acordo com a produção de urânio, no qual faz parte.

Desde que os Estados Unidos se retiraram do pacto em 2018, o Irã tem reduzido seus compromissos assumidos em relação ao acordo nuclear. A atitude vem em retaliação às sanções norte-americanas, que acabaram prejudicando a economia do Irã.