Irã confirma prisão de “alguns indivíduos” e anuncia punição aos envolvidos em queda de avião ucraniano

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Ahmad Halabisaz/Xinhua

Hassan Rouhani, presidente do Irã, confirmou nesta terça-feira (14), a prisão de “alguns indivíduos” que tiveram participação na derrubada, acidental, do avião da Ukraine International Airlines no último dia 8 de janeiro.

Em comunicado oficial do governo, Rouhani não revelou nomes e nem quantas pessoas foram detidas, mas prometeu punição aos culpados e garantiu que “a responsabilidade recai sobre mais do que apenas uma pessoa”.

Pressionado pela população após assumir o disparo acidental do míssil que vitimou as 176 pessoas que estavam à bordo do avião, Rouhani voltou a afirmar que a “culpa” principal pelo erro humano que causou a tragédia foi dos Estados Unidos.

“Foram os EUA que criaram um ambiente agitado. Foram os EUA que criaram uma situação incomum. Foram os EUA que ameaçaram e levaram nosso amado (Soleimani)”, disparou, para, na sequência, fazer sua mea-culpa.

“As forças armadas iranianas admitirem seu erro são um bom primeiro passo. Devemos garantir às pessoas que isso não acontecerá novamente”, concluiu.