IPO da Claranet Technology: conheça a empresa de cibersegurança e dados

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).

Crédito: Divulgação

A Claranet Technology, empresa que atua como provedora de serviços de computação em nuvem, cibersegurança e dados, está na fila para IPO (Oferta Pública Inicial).

A empresa é britânica, tem sede em Londres, e tem brasileiros como seus principais executivos, incluindo o sócio-fundador e presidente, Edivaldo Rocha. Por isso, o IPO foi pedido para ser feito na B3.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Vamos conhecer melhor a empresa?

História da Claranet

Fundada em 25 de agosto de 1992, a empresa iniciou suas operações como uma integradora profissional de redes e soluções de tecnologia da informação, ajudando as empresas no gerenciamento de suas necessidades de digitalização de infraestrutura.

Em paralelo, em 1996, foi fundada, em Londres, a primeira empresa do Grupo Claranet – atualmente denominada por Claranet Group Limited – a atual controladora.

A Claranet surge no mercado europeu como uma especialista em serviços gerenciados de tecnologia para empresas, se assumindo desde cedo como pioneira na oferta de tecnologia especializada no mundo corporativo.

Em 2004 passou a ser liderados pelo acionista e atual CEO – Edivaldo Rocha – e entrou no mercado da computação em nuvem, no qual conquistou uma posição de referência como uma das principais e mais robustas plataformas de Cloud Privada do país.

Em 2015, a 2bCapital, gestora de private equity controlada pelo Bradesco, investiu na companhia. Em 2016, o Grupo Claranet fez seu primeiro investimento no Brasil, adquirindo a CredibiliT Tecnologia. Em 2020, o Grupo Claranet adquiriu o controle da companhia – então denominada Corpflex Informática – e foi feita a integração da operação com a operação da CredibiliT, que havia alterado a denominação para Claranet Brasil.

“A junção do robusto portfólio de soluções de Private Cloud, com a expertise da CredibiliT em Public Cloud e todo o portfólio de serviços de tecnologia e cybersecurity do Grupo Claranet, nos permitiu passar a disponibilizar a nossos clientes uma oferta completa de hybrid cloud e cybersecurity no Brasil, potenciada pela melhor tecnologia disponível globalmente”, afirma a empresa no prospecto.

Em 2021, concluída a integração operacional entre a Corpflex e Claranet Brasil, esta última foi incorporada na companhia, que passou a ser denominada “Claranet Technology S.A.”.

Em abril de 2021 foi adquirida a Mandic S.A. – uma das mais tradicionais empresas do mercado de tecnologia brasileiro.

Modelo de negócios da empesa

A Claranet Technology afirma ser especialistas em soluções tecnológicas e plataformas digitais de nova geração, líder em soluções de computação em nuvem, cibersegurança e dados.

Pautado no tripé “pessoas – tecnologia – inovação”, a empresa diz que reúne as principais tecnologias do mercado em um ecossistema digital completo com ampla oferta de soluções Business to Business (B2B).

O escopo principal do negócio está focado no oferecimento de soluções em nuvem pública, nuvem privada, cibersegurança, dados, devops que é escalado ao mercado por meio de plataformas digitais, além de serviços de consultoria e avaliação em tecnologia.

“Atuamos em toda a jornada de transformação digital dos nossos clientes, desde o desenvolvimento da estratégia de migração para nuvem, pública ou privada, passando pela gestão e oferta de serviços digitais, até o desenvolvimento de plataformas digitais mais complexas, tudo protegido por uma camada de segurança digital”, explica a Claranet Technology.

Ao longo da trajetória, a empresa evoluiu de um provedor puramente de serviços de nuvem pública para um ecossistema digital que visa atender às demandas dos diferentes perfis de clientes, confirmando a capacidade de inovar.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

Claranet Technology

Aquisições e contratos de longo prazo

Um dos pilares da estratégia de crescimento da Claranet Technology dá-se através de aquisições, buscando selecionar empresas com oferta de produtos de qualidade, base sólida de clientes e que tenham desenvolvido tecnologia capaz de ampliar e/ou complementar o nosso portfólio de produtos e serviços, fortalecendo nossa proposta de valor agregado ao cliente.

Desde 2017, foram três aquisições e a empresa diz que foi capaz de integrá-las à cultura operacional e organizacional, além de ampliar eficiência e capturar sinergias, promovendo o crescimento das empresas adquiridas de forma integrada ao ecossistema digital.

O modelo de negócios baseia-se principalmente em contratos de longo prazo, de, em média, 48 meses. 88% dos contratos de nuvem privada e 96% dos contratos de cibersegurança são renovados, em média, por igual período, após o período inicialmente contratado. No exercício social encerrado em 30 junho de 2021, a Claranet Technology teve uma receita recorrente de 97% oriunda de contratos.

Os contratos geram uma receita recorrente mensal de, aproximadamente, R$19,8 milhões em uma base pulverizada de aproximadamente 1.600 clientes corporativos, nos mais variados setores da economia.

Clientes da Claranet

Os clientes da Claranet Technology são categorizados em quatro segmentos de acordo com a receita bruta mensal gerada:

  • Prime, que são os clientes que geram receita bruta mensal recorrente acima de R$ 50 mil;
  • Plus, que são aqueles com receita bruta mensal recorrente entre R$ 20 mil e R$ 50 mil;
  • Top, que são os que apresentam receita bruta mensal recorrente entre R$ 10 mil e R$ 20 mil;
  • Basic, que são aqueles que geram receita bruta mensal recorrente abaixo de R$ 10 mil.

No exercício social encerrado em 30 de junho de 2021, a receita bruta mensal média por cliente Prime foi em torno de R$ 1,2 milhão e a receita bruta mensal média por cliente corporativo, total, da nossa base é de R$ 490 mil.

Os clientes estavam distribuídos em diversos setores de atuação, em 30 de junho de 2021, sendo 32 deles destaque nos seguintes setores: educação, serviços, indústria, finança, tecnologia, agronegócio, saúde, logística, varejo e construção.

“Adicionalmente, atraímos clientes em diferentes estágios de maturidade e os acompanhamos ao longo de toda sua jornada de transformação digital, oferecendo diferentes produtos e serviços em cada fase”, afirma a empresa.

Pontos fortes da companhia

  • Liderança por equipe de gestão experiente no setor e com forte cultura de resultados;
  • Ecossistema digital inovador com ampla oferta de soluções e alto potencial de cross-sell;
  • Companhia controlada pelo Grupo Claranet;
  • Histórico comprovado de crescimento orgânico e inorgânico com sólidos indicadores financeiros e operacionais;
  • Estrutura de Governança Corporativa e práticas ESG, seguindo as melhores práticas de mercado.

Pilares estratégicos da Claranet

A estratégia de crescimento baseia-se também em replicar, no mercado brasileiro, o modelo de consolidação implementado com sucesso na Europa pelo Grupo Claranet, aliado a uma cultura meritocrática e orientada para resultados desenvolvida no Brasil.

Os pilares primordiais da estratégia são:

  • Crescimento orgânico: continuar o crescimento por meio de aquisições de clientes organicamente, esforço contínuo para renovação de contratos e proposta de inovação;
  • Aquisições: adquirir escala e/ou competências que melhorem a nossa posição competitiva;
  • Cultura: continuar e evoluir a cultura de gestão de resultados, geração de caixa e EBITDA, transparência e meritocracia, alinhando os nossos principais executivos com um plano de remuneração agressivo e metas desafiadoras;
  • Disciplina financeira: Continuar a focar em eficiência, automação e alocação de capital disciplinado.

Dados econômico-financeiros

Claranet Technology

Principais fatores de risco

  • A interrupção ou indisponibilidade dos serviços causada por fatores fora do controle pode afetar adversamente as operações, condição financeira e reputação.
  • Se os provedores de nuvem pública sofrerem uma violação de segurança e terceiros não autorizados obtiverem acesso aos dados dos clientes, dados ou plataforma, a reputação e a confiabilidade dos serviços prestados na plataforma podem ser afetados adversamente e causar um efeito relevante e adverso.
  • Erros, falhas ou defeitos nas soluções para clientes, software ou tecnologia podem afetar adversamente os negócios da Claranet Technology, condição financeira e resultados operacionais.
  • Dependemos de software de terceiros, de difícil substituição, ou que podem causar erros ou falhas nos serviços, que podem levar à perda de clientes ou prejudicar a reputação.
  • Os serviços em nuvem privada dependem do acesso à energia elétrica suficiente e confiável.

Sobre o IPO da Claranet

A Claranet Technology protocolou seu pedido de IPO na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em 26 de agosto. A empresa quer ser listada no Novo Mercado.

A oferta terá distribuição primária (quando os recursos vão para o caixa da companhia) e secundária (quando os acionistas vendem parte de suas ações).

Os recursos da tranche primária serão usados para: futuras aquisições (84%), pagamento de obrigações e despesas gerais corporativas e de vendas (13%) e investimento em crescimento orgânico (3%).

Os acionistas vendedores da Claranet Technology são os fundos RW Brasil e Oria Tech e os investidores pessoas físicas José Maurício Cascão Pereira e Sidney Victor da Costa Breyer.

Ainda não há informações sobre prazos e valores da oferta.

A operação é coordenada por Itaú BBA (líder), BTG Pactual, XP Investimentos e Morgan Stanley.