IPC-S recua, puxado pelo preço da gasolina

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) variou 0,07% na terceira quadrissemana de abril, ficando 0,27 ponto percentual abaixo do registrado na semana passada (0,38%).

O indicador foi divulgado nesta quinta-feira (23) pela Fundação Getulio Vargas.

Sete das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo na variação semanal.

A maior contribuição veio do grupo Transportes, que foi de -0,97% para -1,57%. Destaque para a variação do item gasolina, que passou de -3,68% para -5,29%.

Também registraram decréscimo Educação, Leitura e Recreação (0,41% para -0,22%), Habitação (0,38% para 0,23%), Alimentação (1,65% para 1,51%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,50% para 0,38%). Também Vestuário (-0,23% para -0,32%) e Despesas Diversas (0,34% para 0,32%).

Destaques para passagem aérea (7,40% para 1,43%), móveis para residência (-0,34% para -1,07%), hortaliças e legumes (11,73% para 9,87%). Também para artigos de higiene e cuidado pessoal (0,94% para 0,52%), calçados (-0,15% para -0,39%) e serviços bancários (0,33% para 0,22%).

O grupo Comunicação repetiu a taxa de variação de 0,06% registrada na última apuração. Merecem destaque a variação de TV por assinatura (de 0,03% para 0,12%). E ainda tarifa de telefone residencial (0,48% para 0,33%).

IPC-S

Entenda o IPC-S

O IPC-S é um indicador de inflação que acompanha a evolução de preços por quatro semanas no mês.

Ele reflete o custo de vida de famílias com renda mensal de 1 a 33 salários mínimos, residentes em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Brasília.

A próxima divulgação do IPC-S acontece dia 4 de maio.