IPC-S: inflação sobe nas sete capitais pesquisadas

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Agência Brasil

O Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) subiu 0,34% no período calculado até 31 de março. O indicador mede semanalmente a inflação no país e é calculado pela Fundação Getulio Vargas.

O resultado ficou 0,16 pontos percentuais acima do registrado na semana anterior. E todas as sete capitais pesquisadas registraram acréscimo em suas taxas de variação, conforme divulgou a FGV nesta quinta-feira (2).

Belo Horizonte registrou a maior variação do período, indo de 0,05% para 0,41%. Em São Paulo, a variação foi de 0,25 para 0,37%. No Rio de Janeiro, de 0,47% para 0,61%.

Inflação: preços semanais por itens

No ano, a alta do IPC-S é de 0,92%. Nos últimos 12 meses calculados até março, a alta é de 3,44%.

Na última apuração realizada, sete das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação.

A maior alta veio do grupo Alimentação (1,01% para 1,35%), com destaque para hortaliças e legumes, cuja taxa passou de 8,60% para 12,27%.

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Educação, Leitura e Recreação (-0,88% para -0,28%), Habitação (0,04% para 0,28%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,40% para 0,49%), Vestuário (-0,28% para -0,06%), Comunicação (0,09% para 0,13%) e Despesas Diversas (0,01% para 0,03%).

O grupo Transportes (0,05% para -0,13%) apresentou recuo em sua taxa de variação. Nesta classe de despesa, vale citar o item gasolina (-0,98% para -1,38%).

IPC-S inflação