IPC-S recua, com alta menos intensa da gasolina

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) variou 0,74% e acumula alta de 7,09% nos últimos 12 meses. A última leitura havia sido de 1% e alta menos intensa do preço da gasolina contribuiu para a desaceleração.

Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Transportes (3,68% para 2,45%). Destaque para gasolina, cuja taxa passou de 9,82% para 6,91%.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

Em contrapartida, os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (0,70% para 0,87%), Despesas Diversas (0,33% para 0,52%) e Comunicação (0,20% para 0,33%) apresentaram avanço em suas taxas de variação.

  • Transportes: 3,68% para 2,45%
  • Habitação: 0,68% para 0,53%
  • Educação, Leitura e Recreação: -0,52% para -0,76%
  • Vestuário: 0,22% para 0,16%
  • Alimentação: 0,13% para 0,12%
  • Saúde e Cuidados Pessoais: 0,70% para 0,87%
  • Despesas Diversas: 0,33% para 0,52%
  • Comunicação: 0,20% para 0,33%

A próxima apuração do IPC-S será divulgada dia 26.

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.