IPC-S recua 0,18%, puxado pela gasolina; alta em 2020 é de 0,74%

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) caiu 0,18% na última quadrissemana de abril, ante 0,07% do registro anterior. A expectativa do mercado era por recuo de 0,11%.

O resultado foi divulgado nesta segunda-feira (4) pela Fundação Getulio Vargas.

Com o resultado, o índice acumula alta de 0,74% em 2020 e de 2,60% nos 12 meses encerrados em abril.

Nesta apuração, seis das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação.

A maior contribuição negativa veio do grupo Transportes (-1,57% para -2,02%). Neste grupo, vale destacar a baixa da gasolina, que recuou de -5,29% para -6,76%.

Também registraram decréscimo Educação, Leitura e Recreação (-0,22% para -0,90%), Alimentação (1,51% para 1,10%), Habitação (0,23% para 0,13%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,38% para 0,35%) e Comunicação (0,06% para 0,04%).

O grupo Despesas Diversas (0,32% para 0,35%) apresentou avanço. O destaque fica com serviços bancários (0,22% para 0,35%).