IPC: preços ao consumidor avançam 0,4% nos EUA

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos Estados Unidos avançou 0,4% em agosto, pouco acima da projeção de 0,3% do mercado. Em julho, o avanço foi maior, de 0,6%.

Na base anualizada, houve avanço de 1,3%, ante 1% do mês anterior.

O núcleo do IPC, que exclui alimentos e combustíveis, também subiu 0,4%.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (11) pelo Bureau of Labor Statistics do Departamento de Trabalho americano.

Carros e caminhões usados têm maior alta

Carros e caminhões usados respondem por boa parte da alta, registrando avanço de 5,4%%.

O índice de energia subiu 0,9%, com a gasolina registrando avanço de 2%.

Os alimentos registraram alta de 0,1%, com aumento da alimentação fora de casa (0,3%), decorrente da flexibilização das medidas de distanciamento social.

Reprodução/BLS

IPC: alta é a terceira consecutiva

Esta é a terceira alta consecutiva do IPC (0,6% em junho e em agosto), e aponta uma aceleração gradual da inflação que acompanha a recuperação da economia após as desacelerações causadas pela pandemia.

Em março, o indicador teve recuo de 0,4%. Em abril, queda de 0,8%. E em maio, queda de 0,1%.

Preços ao produtor

Ontem, foi divulgado o Índice de Preços ao Produtor (IPP ou PPI na sigla em inglês) dos Estados Unidos, que subiu 0,3% em agosto, pouco acima da projeção de 0,2% do mercado. Em julho, a alta foi de 0,6%.

Na comparação anualizada, o IPP tem queda de 0,2%, ante queda de 0,4% do mês anterior.