Veja 7 dicas para investir melhor em 2020

Weslley Almerindo
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Mindandi/Freepik

O ano está chegando ao fim e, nessa época, é comum que surjam novos planejamentos e novas promessas. Desse modo, para quem pretende investir é uma excelente oportunidade. Veja as melhores dicas para você começar o ano de 2020 colocando seus planos em prática e, principalmente, investindo melhor.

Faça uma lista de objetivos

Se tem algo que pode ser tido como um fato, é que quem tem um planejamento concreto chegará a algum lugar, pois sabe onde quer ir. Não obstante, aquele que não possui objetivos e metas que o movem tem altas chances de se manter na inércia.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Sendo assim, traçar uma lista com objetivos e metas é, indubitavelmente, a melhor decisão possível para que se comece com o pé direito. Dessa forma, saiba, em primeiro lugar, onde você colocará o dinheiro que deseja obter com investimentos.

Em seguida, defina quais são seus objetivos de curto, médio e longo prazo. De modo geral, objetivos de curto prazo costumam ter até 2 anos, médio prazo de 2 a 5 anos e longo prazo acima de 5 anos.

Como exemplo, você pode ter como objetivo migrar da renda fixa para renda variável. Este pode ser um objetivo de curto prazo que necessita de um planejamento simples. Desse modo, não investirá todo seu patrimônio em renda variável, haja vista os riscos.

Consequentemente, com apenas R$ 10 e uma conta em uma boa corretora você já consegue investir em ações, o que facilita o início da migração

Entretanto, escolher um bom ativo para investir o seu dinheiro é a parte que pode ser um pouco mais complicada. Contudo, se seguir uma pequena sequência de perguntas, terá uma decisão mais assertiva.

As seis perguntas que vão te auxiliar no seu planejamento

  • Por que quero fazer esse investimento?;
  • O que preciso estudar para ter mais segurança na hora de investir?;
  • Quanto pretendo investir?;
  • Quais tipos de empresas/investimentos me chamam mais a atenção?;
  • Quero rendimentos no curto, médio ou longo prazo?;
  • Meu foco são dividendos ou valorização da ação?.

Com a resposta dessas perguntas, terá um norte de como traçar suas metas e fazer e fazer sua lista de objetivos para 2020.

No entanto, nunca descarte o auxílio de um bom assessor de investimentos para essas escolhas.

Planejamento financeiro

Como já dito, ter um planejamento é primordial para quem deseja avançar em alguma coisa. Dessa forma, o conceito não se aplica apenas para objetivos e metas, mas também para sua vida pessoal e, principalmente, a financeira.

Para fazer um bom planejamento financeiro existem, basicamente, quatro passos:

  • Anote todos os seus gastos fixos;
  • Anote todas as suas fontes de renda;
  • Veja quanto dinheiro tem disponível para “gastos”;
  • Defina quanto investirá, e quanto você tem disponível para educação e diversão.

Com essas informações em mãos, torna-se muito mais fácil começar a investir. Somado a isso, recomendo a leitura deste artigo para caso esteja endividado e deseje começar a investir ou simplesmente para informações mais completas sobre planejamento financeiro.

Esteja bem informado

O mercado financeiro é volátil e esta é a sua maior beleza. Assim sendo, notícias, por exemplo, podem refletir no mercado de forma positiva ou negativa.

Logo, estar bem informado é essencial, pois só assim poderá ter a sua vista os melhores e piores ativos do mercado em dado momento.

Nesse sentido, se simplesmente reparar nas manchetes, perceberá que quando acordos internacionais importantes estão sendo feitos, a depender da situação em que se encontram as negociações, haverá influência direta na valorização da moeda, na pontuação da bolsa, seja nacional ou internacional e até mesmo na tomada de decisão de empresas – sendo que uma dessas empresas pode ser justamente alguma em que você investe.

Exemplificando…

Vamos supor que você decida que investir em Fundos Imobiliários, pois leu em algumas notícias que com a baixa da selic o setor está em uma excelente fase.

No entanto, você opta por investir em um fundo que tem como base apenas shoppings em seu portfólio. Em seguida, você decide não ler as notícias no dia seguinte, por qualquer motivo.

Desse modo, exatamente neste dia em que optou por não ler o noticiário, um shopping importante desse fundo terá que fechar as portas em breve.

O resultado é fácil de se imaginar: o fundo que você optou por investir terá suas cotas desvalorizadas em relação ao período que comprou, e os dividendos que receberá serão menores, haja vista a perda de uma importante fonte de renda.

Dessa maneira, é possível ver de uma forma mais clara como é importante estar bem informado diariamente, pois uma simples notícia pode abalar diretamente um de seus investimentos.

O Eu Quero Investir tem notícias diárias sobre o mundo dos investimentos, não importando se é dia útil ou feriado, dedicar uma pequena parte do seu dia a leitura das principais notícias já será um excelente começo.

Renda Fixa vs Renda Variável

A dúvida sobre investimentos conservadores e agressivos é completamente compreensível, uma vez que a taxa Selic está em sua mínima histórica – 4,5%.

Talvez você já tenho lido ou escutado em algum lugar que não se deve ter 100% de seu patrimônio em renda variável. Nesse raciocínio, o motivo é óbvio, caso tenha todo o seu patrimônio em renda variável, as chances de perder boa parte dele aumentam consideravelmente.

Sendo assim, é importante que, pelo menos, faça uma reserva de emergência em investimentos de renda fixa.

Após isso, se objetiva viver de renda, é um tanto quanto obrigatório que aposte em renda variável, como Fundos Imobiliários e ações. Aliás, temos um artigo especialmente sobre como viver de renda com fundos imobiliários, caso deseje aprofundar seu conhecimento no assunto.

Nessa perspectiva, é importantíssimo que saiba qual o seu perfil de investidor, caso não saiba ainda, pois somente assim é que saberá quais são os tipos de investimentos mais recomendados para você – se renda fixa ou variável.

Além disso, é importante que saiba que, mesmo na renda variável, você não irá enriquecer da noite para o dia, pois sim, é possível viver de renda com investimentos, mas isso demanda tempo, estudo e esforço.

O que aprender com 2019?

O ano de 2019 iniciou com uma perspectiva de crescimento do PIB em 3%. Todavia, o tempo passou e a realidade foi contrária.

Empresários e investidores animados no começo do ano tiveram uma má surpresa, já que o crescimento do PIB em 2019 foi de apenas 1%.

Além disso, são diversos fatores que podem ter levado a essa diferença tão grande de resultado e, portanto, uma análise das principais notícias do ano talvez lhe façam ter uma compreensão do que causou essa mudança.

Você pode ir ainda além, se quiser, pois está vendo claramente que nem sempre as projeções feitas por especialistas se cumprem, e esse é um dos melhores aprendizados para se ter com o mercado financeiro.

Se voltarmos para o presente, temos notícias falando da desaceleração da economia mundial, de uma possível queda ainda maior da taxa Selic já em fevereiro, de recordes novos do Ibovespa, e diversas outras coisas.

No entanto, é importante que tenha plena consciência de que todas essas notícias são palpites vindo de algum indivíduo ou instituição, não sendo, necessariamente, 100% preciso.

Diversificação

Ter uma carteira de investimentos diversificada não é uma opção, mas sim uma obrigação – se desejar obter lucros maiores com segurança.

É um tanto quanto simples compreender o porquê de diversificar uma carteira de investimentos. Existem, basicamente, três motivos principais para você fazer isso.

O primeiro é que se você tem todo o seu patrimônio em um único ativo, ele não é protegido pelo FGC e vai a falência, você perde todo seu dinheiro, basicamente. Claro, esse é um exemplo para facilitar a compreensão.

O segundo motivo, é que se você possui poucos ativos com patrimônio investido, você terá poucas fontes de retorno. Em outras palavras, quanto maior for a variação de seus investimentos, maior será as suas fontes de lucro.

O terceiro motivo é, basicamente, uma consequência do segundo, isto é, se você possuir uma carteira bem diversificada terá menos chances de perder dinheiro, pois enquanto um ativo lhe dê prejuízo em um dia, talvez outro o recompense, balanceando as contas. Não obstante, se possuir poucos ativos na sua carteira, suas chances de perdas aumentam, pois será ainda mais difícil que o prejuízo de um investimento seja compensado por outro e vice-versa.

Por fim, vale destacar que diversificar sua carteira não se trata apenas de ter investimentos em renda fixa e variável, mas sim ter investimentos em variados ativos dentro dessas opções. Portanto, diversos Fundos Imobiliários, ações, fundos DI, Tesouro Direto, CDBs e etc.

Dividendos

Essa é a palavra mágica que faz brilhar o olho qualquer investidor experiente no mercado, assim por dizer. Desse modo, dividendo, para alguns, é a melhor opção para viver de renda e um grande definidor de “devo ou não comprar esta ação?”.

De modo simplório, os dividendos são uma parte dos lucros da empresa que são distribuídos aos investidores que possuem ações daquela instituição. Nessa lógica, cada instituição tem a sua política, sendo que algumas pagam dividendos mensalmente, outras uma vez por trimestre, e tem também aquelas que liberam apenas uma vez ao ano.

Sendo assim, observar empresas boas pagadoras de investimentos é uma ótima forma de escolher em quais ações, fundos e outros tipos de investimentos aplicar.

Em acréscimo, no Brasil, há isenção de imposto de renda sobre dividendos e Fundos Imobiliários, ou seja, você não será taxado pelos rendimentos que recebe.

Portanto, colocar ações e Fundos Imobiliários, principalmente, é uma excelente opção para sua carteira de 2020. Vale lembrar, mais uma vez, que o auxílio de um bom assessor nunca será incomodo, sempre poderá obter melhores resultados e escolhas se tiver alguém para lhe ajudar.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo