Investigação contra sócio de Flávio Bolsonaro é paralisada no RJ

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: REUTERS/Adriano Machado

O desembargador Antônio Carlos Nascimento Amado, presidente da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, determinou que a investigação contra Alexandre Ferreira Dias Santini, sócio de Flávio Bolsonaro em uma loja de chocolates, fosse paralisada. A decisão é dessa terça-feira (21).

A investigação se refere ao processo do suposto esquema de “rachadinha” no gabinete do filho do presidente Jair Bolsonaro, quando Flávio era deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) suspeita que Alexandre tenha atuado como laranja na compra da loja de chocolates, numa forma de lavar o dinheiro oriundo da “rachadinha”.

Movimentações suspeitas

Em janeiro de 2019, logo após a posse de Jair Bolsonaro, começou a sair na imprensa que, em um mês, foram 48 depósitos em dinheiro numa conta do senador eleito pelo Rio de Janeiro, quando ele ainda era deputado estadual, no total de R$ 96 mil.

As movimentações financeiras suspeitas de Flávio Bolsonaro ocorreram entre junho e julho de 2017. Os depósitos em espécie e direto na conta do senador eleito eram concentrados no autoatendimento da agência bancária que fica dentro da Alerj, e sempre no mesmo valor: R$ 2 mil.

Relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) diz que não foi possível identificar quem fez os depósitos. O fato de terem sido feitos de forma fracionada desperta a suspeita de ocultação da origem do dinheiro.

A rachadinha ocorre quando funcionários do gabinete devolvem parte do salário ao político, o que é ilegal.

Motivo da decisão

Para o desembargador, as investigações precisam parar pois ele entende que Alexandre não teve o direito de defesa adequado.

No final de dezembro de 2019, o MP-RJ cumpriu no total 24 mandados de buscas e apreensão, entre elas a loja do filho mais velho de Jair Bolsonaro. O senador possui 50% da sociedade da loja, uma franquia de chocolates. O estabelecimento fica em um shopping de alto padrão na Barra da Tijuca, na Zona Oeste da cidade. Neste caso, o foro privilegiado ao qual Flávio Bolsonaro tem direito não se aplica.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Na operação, também são investigados parentes de Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, que foram Alerj, onde ele foi deputado estadual por quatro mandatos.

A decisão da Justiça atendeu a um pedido da defesa do empresário, mas não vale para Flávio Bolsonaro e nem para os outros investigados no mesmo caso.

Com informações do portal de notícias G1.