Money Week: Investidor perde dinheiro por falta de foco e paciência

Natalia Gómez
Editora, é jornalista especializada no mercado de investimentos há 17 anos. Formada pela PUC-SP, teve experiências em veículos como Agência Estado, Valor Econômico e Revista Você SA; e na área de comunicação corporativa e relações públicas para instituições financeiras.

O mercado de ações é rodeado de notícias, especulações e mudanças repentinas de cenário. Com isso, muitos investidores se perdem querendo tomar decisões de curto prazo e se deixando levar pelas emoções.

De acordo com alguns dos maiores especialistas em ações ouvidos hoje pela Money Week, o segredo para ter sucesso no mercado de ações é justamente o contrário: manter a calma, o foco no longo prazo, e cuidar do rebalanceamento periódico da carteira.

A orientação foi dada há pouco em uma conversa ao vivo entre o fundador da EQI, Juliano Custodio, o sócio fundador da Real Investor Cesar Paiva e o gerente de portfólio da Alaska Asset Management, Henrique Bredda.

Veja a entrevista completa, que abriu o terceiro dia da Money Week.

Clique aqui e inscreva-se gratuitamente para acompanhar a MoneyWeek!

Armadilhas da indústria

Um dos principais erros cometidos pelos investidores é ficar mudando de posição com frequência, ao sabor do noticiário corporativo e do momento do mercado. Segundo Bredda, este tipo de investidor acaba sustentando ganhos da indústria de investimentos sem obter retornos no longo prazo.

“No final das contas, esse coitado fica dez anos brigando com a sombra e sustentando uma indústria sangue-suga de fees, emolumentos e corretagens, e não sai do lugar”, disse. “Ao mesmo tempo, as empresas se valorizaram 10 vezes e distribuíram dividendos a dar com pau, e ele ficou sustentando a indústria”, destacou.

Outro erro comum, segundo Bredda, é a falta de foco. Segundo ele, o investidor não deve perder tempo com todos os fatores que influenciam o mercado. “No mundo da gestão, a gente escolhe um círculo de competências e se concentra nas coisas que a gente domina e que vale a pena gastar tempo”, disse.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Por exemplo, ele afirmou que muitos investidores perdem tempo para entender algumas dinâmicas do mercado de petróleo. “Não dá para escutar de tudo, a palavra mágica é círculo de competência.”

A mesma orientação foi dada por Paiva. A Real Investor acompanha cerca de 100 empresas, embora existam cerca de 350 empresas listadas em bolsa. Em vez de focar no curto prazo, ele destaca a importância de olhar um horizonte maior. “Não vamos deixar de investir em uma empresa por causa de um trimestre ou dois”, afirma.

ações

Escolha seus aliados

Para fugir destas armadilhas, o especialista recomenda que o investidor identifique seus aliados na indústria de investimentos.

“Antes de sair comprando e vendendo, pare e veja quem está interessado em ajudar, e quem está interessado em tirar dinheiro. Não é muito difícil”, disse. “Então fique com esse pessoal, invista com eles e aprenda com eles”, orienta.

Em momentos de crise, ter este tipo de cuidado é ainda mais importante. Isso porque muita gente se desespera com a crise e acaba esquecendo dos seus planos iniciais de investimento.

De acordo com Bredda, o ideal é o investidor ter uma boa conversa com seu agente autônomo. “É o cara que senta com você e desenha uma estratégia baseada com sua renda, idade, perfil de risco, perfil de gastos”, afirma.

Rebalanceamento é essencial

Uma vez que a estratégia for traçada em parceria com o assessor de investimentos, é importante sempre retornar a ela em momentos de forte alta ou baixa do mercado. Em outras palavras, isso é chamado de rebalanceamento de carteira.

Isso significa manter as proporções de alocações em renda fixa e variável ao longo do tempo. Sempre que uma destas fatias muda mais de 15%, é hora de rebalancear.

“Nos momentos de dúvida, você deve sempre buscar a disciplina que foi traçada no momento de calmaria”, diz.

O grande equívoco de muitos investidores é querer mudar os planos nos piores momentos, segundo Bredda. “As pessoas inventam uma narrativa para explicar o êxtase ou a depressão que estão sentindo”, disse.

Da mesma forma, Paiva também acredita que equilíbrio é essencial. “O investidor precisa exercitar o senso crítico para ter sucesso.”