Intermédica (GNDI3) adquire Grupo Serpram (MG) por R$ 170 milhões

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Foto: Fachada de hospital da Notre Dame Intermédica

A Notre Dame Intermédica (GNDI3) firmou nesta segunda (26) acordo para comprar o grupo Serpram (Serviço de Prestação de Assistência Médico-Hospitalar).

O valor da transação foi de R$ 170 milhões.

A compra inclui os hospitais IMESA (Instituto de Medicina Especializada Alfenas) e Varginha (MG), além de uma seguradora.

Conheça a FinTwit, o maior fórum de finanças do mundo.

Hoje o Twitter é pauta na Money Week.

Carteira e hospitais

“O Grupo Serpram é uma operadora de saúde verticalizada com 29 anos de atuação nas regiões de Alfenas, Varginha, Extrema e Pouso Alegre (sul do Estado de Minas Gerais)”, informa a Intermédica

“Fica a apenas 100 km das operações recentemente adquiridas pela companhia em Poços de Caldas (MG). Sua área de influência conta com mais de 1,4 milhão de habitantes (312mil beneficiários de planos de saúde).”

Segundo a Intermédica, a empresa possui uma carteira com 47 mil beneficiários de saúde (96% corporativo/adesão), 10 mil beneficiários odontológicos e dois hospitais referências na região, com 74 leitos (21 de UTI).

Um dos hospitais fica no município de Alfenas (MG) e outro em Varginha (MG).

Em 2019, o grupo Serpram apresentou um faturamento líquido consolidado de R$ 108,4milhões, com sinistralidade caixa de 76% e EBITDA (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 8 milhões (margem de 7,4%).

A aquisição inclui os imóveis hospitalares, que possuem mais de 10 mil metros quadrados de área construída e 36 mil metros quadrados de terreno.

Sinergias

“O plano de integração prevê relevantes sinergias administrativas e operacionais”, diz o comunicado da Intermédica.

A consumação da transação está sujeita ao cumprimento de determinadas condições , incluindo a aprovação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

Com a conclusão, a companhia “fortalece sua estratégia de crescimento verticalizado no Estado de Minas Gerais, reforçando seu compromisso com a criação de valor para seus acionistas, clientes e sociedade”.

Intermédica (GNDI3) comunica aquisição de hospital no PR

A Notre Dame Intermédica (GNID3) anunciou que a Clinipam –Clínica Paranaense de Assistência Médica, subsidiária integral da companhia,celebrou um contrato definitivo de compra do Hospital e Maternidade Santa Brígida.

De acordo com a nota, a Intermédica passou a deter, de forma indireta, 97% das ações do Hospital Santa Brígida.

O preço de aquisição foi pago à vista, descontados o endividamento líquido e uma parcela retida para contingências.

As ações da empresa reagem bem na bolsa. Os papéis registram alta de 2,28%, cotados a R$ 65,85, perto das 14h, enquanto o Ibovespa tem queda de 0,84%.

Localizado em Curitiba(PR), a empresa opera um Hospital Materno-Infantil com 72leitos, sendo 15 de UTI, 4 salas obstétricas e 5 consultórios de pronto socorro, além de uma ala diagnóstica com ultrassonografia, endoscopia, radiografia e laboratório de análises clínicas.

Em 2019, o Hospital Santa Brígida apresentou um faturamento líquido de R$ 31,2 milhões.

Conforme a Intermédica, a consumação da transação não está sujeita à aprovação prévia da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e nem do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

Rede D’or: veja os detalhes do IPO que pode ser o maior do ano

Com Mateus (GMAT3) e Big, supermercados ganham peso na bolsa