BC: tese de inflação temporária está cada vez mais distante

Felipe Moreira
Editor na EuQueroInvestir, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional.
1

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou hoje (19) que a tese da inflação temporária [dos bens] está cada vez mais “obsoleta”, que as expectativas inflacionárias para 2022 já “estão saindo da meta” e que um crescimento de 1% do PIB no ano que vem, “com juro de 12% ou 13% pode colocar a dívida pública em trajetória explosiva”.

Em outro momento, Campos Neto disse que o risco Brasil tem que “melhorar muito para não precisar da salvaguarda das reservas”. A fala de Campos Neto ocorreu em evento do Grupo Parlatório.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

O tom duro do presidente do BC adicionou incertezas no mercado, em um dia de aversão ao risco no exterior, onde a pandemia na Europa volta a preocupar junto com as pressões da inflação nos EUA, puxando o dólar em escala global.

Por aqui, a divisa reverteu a tendência de baixa e passou a subir 0,77%, cotada a R$ 5,612 por volta das 15h50.