Inflação sobe em fevereiro, entre todas as classes de renda, aponta Ipea

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Agência Brasil

O Ipea divulgou nesta terça-feira (16) o Indicador de Inflação por Faixa de Renda. De acordo com os dados, apesar da desaceleração em janeiro, foi registrada alta nas taxas de inflação em todas as classes de rendas pesquisadas em fevereiro. Para a classe de renda muito baixa, o aumento acumulado nos últimos 12 meses é de 6,75%.

Em termos absolutos, os maiores incrementos inflacionários ocorreram nas três faixas de renda mais alta, cujas taxas de inflação aceleraram de 0,26%, 0,27% e 0,29% para 0,98%, 0,97% e 0,98%, respectivamente.

Ipea, Inflação

Já na desagregação da inflação por grupos, foi registrado em fevereiro que a maior contribuição inflacionária veio pela alta de 7,1% dos combustíveis.

Conforme a pesquisa, no caso das famílias de renda mais baixa, os reajustes foram de 0,33% do ônibus urbano. Além disso, também houve aumento de 0,56% do trem. Isso explica a pressão exercida por esse grupo.

Por outro lado, para as famílias de renda mais alta, a queda de 3% nos preços das passagens aéreas ajudou a atenuar o aumento dos combustíveis.

Em relação aos demais grupos, a segunda maior contribuição à alta da inflação das famílias mais pobres veio da habitação. A razão foi a repercussão dos aumentos de 0,66% dos aluguéis, 1,0% da taxa de água e esgoto. Ainda mais, o grande aumento de 3% do botijão de gás.

Para o segmento mais rico da população, o reajuste de 3,1% das mensalidades escolares explica o crescimento do grupo educação. Conforme o Ipea, se ressalta que, assim como ocorrido em janeiro, a desaceleração dos alimentos evitou um aumento ainda maior das taxas de inflação em fevereiro.