Índices ESG devem superar os indicadores tradicionais, diz MSCI

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reproduçã/Pixabay

O investimento sustentável vem crescendo rapidamente nos últimos anos. Sendo assim, a MSCI estima que seus indicadores que medem empresas e governos em 37 questões relacionadas a investimentos ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês) atraiam mais atenção do que os índices tradicionais.

Os indicadores da MSCI, vão desde a liderança feminina a emissão de poluentes. As informações são da Bloomberg.

Para Remy Briand, chefe de pesquisa ESG da MSCI, prevê que o parâmetro de sustentabilidade será mais utilizado do que o valor de mercado “ao longo do tempo”. Investimentos que seguem os índices ESG da companhia devem dobrar neste ano, seguindo à tendência de 2019, afirmou Briand em entrevista a Bloomberg.

A Aliança Global para Investimentos Sustentáveis informou que o investimento verde avançou em todo o globo, ultrapassando a cifra de US$ 30,7 trilhões em 2018.

Segundo Colin Plunkett, analista da Morningstar, a receita obtida com indicadores ESC pela MSCI subiu mais de 60%, alcançando US$ 38 milhões no ano passado. “A receita operacional para a divisão geral de índices foi de US$ 921 milhões no ano passado, um aumento de 10% em relação a 2018”, disse a MSCI em 30 de janeiro.

De acordo com estudos, companhias mais sustentáveis tendem a apresentar melhor performance a longo prazo. O índice MSCI ACWI ESG Leaders tem alta acumulada acima de 50% nos últimos 5 anos, superando o avanço de cerca de 35% do índice MSCI All-Country World. Os papéis da área de tecnologia e finanças possuem as maiores ponderações nos dois casos, representando pelo menos 30% dos índices.

Os desenvolvedores dos indicadores geram receita fornecendo informações e licenciando índices para criação de ativos financeiros às companhias de investimento. Além disso, a MSCI oferta um sistema de classificação ESG e pesquisa sobre o tema visando auxiliar fundos na gestão da carteira de ativos.

Por mais, que possa levar décadas para superar os índices tradicionais, “minha visão pessoal é que a mudança para o ESG acontecerá muito mais rapidamente do que a maioria das pessoas esperaria”, pois a adesão aumentando em ritmo “surpreendente”, segundo Briand.

Lavagem verde

Infelizmente, algumas companhias realizam autodeclarações ou fazem publicidade enganosa para enganar o consumidor ou investidor visando promover seus produtos como “verdes”.

Até a gestora de ativos BlackRock chegou a lidar com a ira de ativistas por não estar fazendo o suficiente, e fundos de hedge foram lentos em adotar as estratégias, citando dados inconsistentes e falta de experiência.