Indicadores de mercado de trabalho mantêm tendência de piora, diz FGV

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: FGV

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp), desenvolvido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), caiu 5,8 pontos em março. Com atuais 77,1 pontos, é o menor nível desde agosto de 2020 (74,8 pontos). Conforme os resultados, em médias móveis trimestrais, o IAEmp cedeu 2,8 pontos, para 81,2 pontos.

“Em março, o IAEmp manteve sua trajetória de queda de forma mais intensa. Essa tendência de piora dos indicadores de mercado de trabalho em 2021 são justificadas pelo agravamento do quadro da pandemia e as consequentes medidas restritivas. O retorno para um caminho de recuperação ainda depende da velocidade do programa de vacinação e da melhora da atividade econômica”, afirma Rodolpho Tobler, economista da FGV.

Indicador Coincidente de Desemprego

O Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) caiu 0,2 ponto para 99,1 pontos. Conforme a FGV, o ICD é um indicador com sinal semelhante ao da taxa de desemprego. Ou seja, quanto menor o número, melhor o resultado.

“O ICD ficou relativamente estável em março. Mas é importante considerar o elevado patamar que o indicador se encontra. O resultado sugere que a taxa de desemprego deve se manter em níveis historicamente altos no primeiro semestre de 2021”. De acordo com Tobler, ainda deve se manter sem perspectiva de melhora no curto prazo. 

“Com o andamento da vacinação, os números podem ser mais positivos, ou menos negativos, na segunda metade do ano”, completou Tobler.

Todos os sete componentes do IAEmp registraram queda em março. Os destaques são dos indicadores de Emprego Local dos Consumidores e de Situação Atual do setor de Serviços. Estes recuaram 15,2 e 12,4 pontos no mês, respectivamente.

No mesmo período, a queda do ICD foi influenciada pelas duas classes de maior renda familiar. A maior contribuição foi dada pela classe familiar com renda superior a R$ 9.600.00, seguida da classe familiar com renda entre R$ 4.800.00 e R$ 9.600.00, cujo indicadores de Emprego Local Atual (invertido) caíram 2,6 e 0,6 pontos, respectivamente, na margem.