Imprensa diz que Bolsonaro não poderá seguir os passos de Trump e abandonar o Acordo de Paris

Luiza Carvalho Lemos Branco
null
1

Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Na abertura da 25ª Conferência do Clima na ONU (COP25), em Madri, o destaque do Les Echos, jornal financeiro francês, foi o artigo de opinião sobre a posição climática do Brasil e afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “não poderá imitar” Donald Trump.

António Guterres inaugurou a conferência apontando que a humanidade sofre as consequências do aquecimento global e que agora deve escolher entre a “esperança de um mundo melhor e agir, ou a capitulação”.

“Realmente queremos passar para a história como a geração que fez como o avestruz, que descansava enquanto o mundo ardia?”, questionou Guterres diante dos 200 signatários do Acordo de Paris, incluindo cerca de quarenta chefes de Estado e de governo.

A imprensa francesa destaca que a COP pode não gerar resultados. “Uma nova COP por nada?”, questiona o jornal Libération. A publicação informa que o evento não deve ser palco de grandes decisões.

“A batalha para salvar o planeta ainda não foi ganha”, concorda Le Parisien. O Les Echos opinou, por meio de artigo assinado pela escritora Laurence Debray, que o Brasil deveria acolher a reunião e não seguir o presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

Jair Bolsonaro segue a linha ambiental de Trump, acreditando que o aquecimento global é uma falácia, apesar dos mais de 9 mil km² da Floresta Amazônica destruídos pelos incêndios. Laurence também apota que por “nacionalismo Bolsonaro cortou drasticamente o orçamento dedicado à defesa do meio ambiente no país e encoraja a extração de minério em terras antigamente protegidas”.