Importação de carne brasileira pela China deve crescer, diz ministro chinês

Marcello Sigwalt
null
1

Crédito: Site G1

“O Brasil terá um papel determinante no crescimento das importações globais chinesas de produtos agrícolas, que devem dobrar até 2050.”

A previsão foi feita, nesta quinta-feira (23), pelo ministro conselheiro Qu Yuhui da Embaixada da China no Brasil, durante o webinar “Agricultura e Inovação: Um olhar estratégico para as relações entre Brasil e China”.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

O evento discutiu a perspectiva de alta das importações chinesas globais, segundo informou o site Notícias Agrícolas.

Como exemplo, Yuhui lembra que, “embora a carne bovina brasileira responda hoje por 30% das importações do gigante asiático, o potencial de crescimento dessa participação é muito grande”.

Aprimorar é preciso

Para o ministro chinês, “o essencial é que o agronegócio brasileiro e seus empresários e exportadores possam aprimorar as relações comerciais entre os dois países”.

Mas para que esse aprimoramento se concretize em avanços, o Yuhui ‘dá o caminho’ para o empresário nacional.

Integração de cadeias

“Os empresários brasileiros deveriam investir mais no estudo do mercado chinês e serem mais agressivos no mercado da China, com uma melhor integração das cadeias produtivas, dispara”.

Dobro em sete anos

Pelos cálculos de Yuhui, até 2027, as importações chinesas globais de carne bovina poderão chegar ao dobro do que são hoje, atingindo 8 milhões de toneladas.

Em outro comparativo, o ministro chinês revelou que “hoje, as compras da nação asiática já podem alcançar um volume maior do que a produção total da União Europeia, por exemplo”.

“Temos a maior classe média do mundo com 400 milhões de pessoas. Acredito que a demanda não vai só aumentar, como será mais sofisticada para produtos agropecuários”, prevê Yuhui.

Medidas temporárias

Quanto à habilitação suspensa de frigoríficos brasileiros, o ministro explicou que se tratam “de medidas temporárias que requerem ajustes, embora sirvam como forma de precaução e prevenção”.

“Como há 102 outros frigoríficos habilitados, não acredito que haverá grande impacto para o comércio entre China e Brasil”, concluiu Yuhui.

Avanço importante

Segundo o representante do Ministério da Agricultura, embaixador Orlando Leite Ribeiro, as exportações de carnes do Brasil para a China registraram um crescimento de 114% no primeiro semestre deste ano (1S20), ante igual período de 2019.

Contribuíram para esse desempenho, acrescenta Ribeiro, os impactos no mercado internacional decorrentes da peste suína africana.

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.