Iguá Saneamento (IGSN3) tem lucro 79% menor no 1TRI21

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação (Foto: Maurilio Cheli, Sanepar

O lucro líquido da Iguá Saneamento (IGSN3) diminuiu 79% no primeiro trimestre de 2021.

O indicador passou de R$ 10,1 milhões para R$ 2,1 milhões.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Veja aqui o balanço do 1TRI21.

Iguá Saneamento (IGSN3): principais números do balanço do 1TRI21

Lucro líquido

Lucro 1TRI21: R$ 2,1 milhões

Lucro 1TRI20: R$ 10,1 milhões

Ebitda

Ebitda 1TRI21: R$ 44,4 milhões

Ebitda 1TRI20: R$ 58,6 milhões

Receita operacional líquida

Receita 1TRI21: R$ 207,2 milhões

Receita 1TRI20: R$ 202,1 milhões

Ebitda caiu 24%

O Ebitda da Iguá Saneamento (IGSN3) caiu 24%.

O indicador passou de R$ 58,6 milhões para R$ 44,4 milhões.

A margem Ebitda diminuiu de 29% para 21,5%.

Receita sobe 2,5%

A receita líquida da Iguá Saneamento (IGSN3) subiu 2,5%.

O indicador passou de R$ 202,1 milhões para R$ 207,2 milhões.

Segundo a empresa, o crescimento foi decorrente do incremento de 8,9% ou R$2,9 milhões na receita de serviços de esgoto, em função principalmente da expansão das economias de esgoto; e dos reajustes ordinários e extraordinários aplicados no período.

A retração observada na receita de outros serviços é resultado das restrições impostas pela pandemia, notadamente a impossibilidade de corte/religação de conexões.

Outros destaques de Iguá Saneamento (IGSN3)

No 1TRI21, os custos e despesas, apresentaram aumento de R$ 21,7 milhões ou 13,5% em relação ao mesmo período de 2020, em função principalmente do incremento de 35,2% ou R$21,5 milhões do custo de construção.

No 1TRI21, o resultado financeiro foi uma despesa de R$ 21,9 milhões, representando uma redução de 9,6% ou R$ 2,1 milhões em relação ao 1T20.

No 1TRI21, a dívida líquida – incluindo não consolidadas – da Companhia totalizou R$1,3 bilhão, um aumento de 16,7% ou R$188,0 milhões na comparação com o mesmo período do ano anterior, em função principalmente do crescimento da dívida bruta.