Eu Quero Investir

IGP-M avança 2,02% na segunda prévia de julho, acima do projetado

Reprodução/Pixabay

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) subiu 2,02% na segunda leitura de julho, ante 1,18% registrado na leitura dos dez primeiros dias do mês.

O resultado, divulgado nesta sexta-feira (17) pela Fundação Getulio Vargas, veio acima do projetado de 1,27%.

Em junho, o IGP-M ficou em 1,56%, ante 0,28% de maio.

Na segunda prévia, a taxa dos preços ao produtor foi impulsionada por produtos agropecuários (alta de 1,16% para 2,48%) e produtos industriais (2,59% para 2,80%).

Nestes grupos, tiveram destaque pecuária (2,15% para 6,20%) e produtos derivados do petróleo (8,54% para 12,87%).

Nos preços ao consumidor, destaque para gasolina (de -1,09% para 4,60%).

Nos custos da construção, alta da mão-de-obra, de 0% para 0,70%.

Componentes do IGP-M

O IGP-M é formado a partir de outros três indicadores. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) representa 60% do IGP-M. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) responde por 30%. E o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), pelos outros 10%.

IGP-M: preços ao produtor

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 2,72% na segunda prévia de julho, ante 2,20% da leitura anterior.

Os preços dos Bens Finais passaram de 2,40% para 0,54%. Sendo que a maior contribuição veio do subgrupo alimentos in natura, que foi de 2,77% para -13,89%.

Os Bens Intermediários subiram de 1,28% para 1,99%, com destaque para combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa passou de 5,35% para 11,44%.

As Matérias-Primas Brutas foram de 2,90% para 5,52%. Destaque para soja em grão (0,85% para 8,03%), bovinos (1,88% para 8,17%) e leite in natura (2,27% para 9,39%). Registraram queda nos preços cana-de-açúcar (1,96% para -0,72%), arroz em casca (11,15% para 0,35%) e suínos (10,39% para 3,45%).

IGP-M: preços ao consumidor

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,49%, após cair 0,14% no mesmo período de junho. Destaque para Transportes (-0,32% para 1,47%) e o item gasolina (-1,09% para 4,60%).
Também tiveram acréscimos os preços Educação, Leitura e Recreação (-1,43% para 0,54%), Habitação (-0,18% para 0,39%). E ainda Saúde e Cuidados Pessoais (0,16% para 0,43%), Comunicação (0,27% para 0,41%) e Vestuário (-0,41% para -0,39%).

Alimentação (0,30% para 0,01%) e Despesas Diversas (0,24% para 0,18%) tiveram queda.

Custo da Construção

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,64% no segundo decêndio de julho. No mês anterior, o índice havia variado 0,25%. O grupo Materiais e Equipamentos foi de 0,65% para 0,71%. Serviços, de 0,15% para 0,04%. E Mão de Obra, de 0% para 0,70%.