IGP-DI varia 2,71% em fevereiro, com recuo em relação ao mês anterior

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), da Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 2,71% em fevereiro. Com isso, há um recuo em relação a janeiro, quando a variação foi de 2,91%. No ano, a alta é de 5,69% no ano. E de 29,95% em 12 meses.

Em fevereiro de 2020, o índice havia variado 0,01% e acumulava elevação de 6,40% em 12 meses.

“Nesta apuração do IGP, o IPA, índice de maior peso, apresentou desaceleração. Apesar disso, dois dos três grupos componentes do índice ao produtor registraram avanços em suas taxas de variação: bens finais (0,79% para 1,80%) e bens intermediários (2,88% para 6,60%). No primeiro caso, a principal contribuição para a aceleração partiu de combustíveis para o consumo (6,64% para 15,43%). No segundo, as fontes de pressão foram mais diversificadas, exemplo do espalhamento das pressões inflacionárias que movimentaram os preços dos seguintes itens: celulose (-4,89% para 8,29%), óleo diesel (6,32% para 14,08%) e fertilizantes (8,00% para 18,53%)”, afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços.

Não Perca! Começa hoje o evento que vai transformar sua visão sobre Fundos de Investimento Imobiliário

IGP-DI

Reprodução/FGV

IGP-DI: preços ao produtor

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 3,40% em fevereiro, ante 3,92% em janeiro. Na análise por estágios de processamento, a taxa do grupo Bens Finais variou de 0,79% em janeiro para 1,80% em fevereiro.

O principal responsável por este avanço foi o subgrupo combustíveis para o consumo, cuja taxa passou de 6,64% para 15,43%. O índice de Bens Finais (ex), que resulta da exclusão de alimentos in natura e combustíveis para o consumo, subiu 0,97% em fevereiro, contra 0,70% em janeiro.

IGP-DI: preços ao consumidor

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,54% em fevereiro, após variar 0,27% em janeiro. Três das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação: Habitação (-1,16% para 0,08%), Transporte (0,88% para 2,29%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,28% para 0,29%).

Alimentação (1,24% para 0,09%), Vestuário (0,55% para 0,03%),  Educação, Leitura e Recreação (0,37% para 0,12%), Despesas Diversas (0,38% para 0,24%) e Comunicação (-0,04% para -0,07%) apresentaram decréscimo em suas taxas de variação.

Custo da construção

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 1,89% em fevereiro, ante 0,89% no mês anterior. O grupo Materiais e Equipamentos variou de 1,37% para 4,38%. Serviços, de 0,79% para 1,00%. E Mão de Obra, de 0,55% para 0,12%.