IGP-M, que reajusta aluguel, sobe 1,17% na segunda prévia de abril

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Na segunda prévia de abril, o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), calculado pela FGV e que reajusta o aluguel, subiu 1,17%, ante 2,98% no mesmo período do mês anterior.

Na primeira leitura de abril, o indicador registrou alta inferior, de 0,50%.

Com o resultado divulgado nesta segunda-feira (19), a alta acumulada em 12 meses passou de 31,15% para 31,57%.

Conforme André Braz, pesquisador da FGV, houve estabilidade dos preços de commodities em dólar, o que favorece a desaceleração das pressões inflacionárias ao longo da cadeia produtiva.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) variou 1,28% no período, ante 3,72% no segundo decêndio de março.
Destaque para o recuo dos combustíveis para o consumo, cuja taxa passou de 15,93% para -1,20%.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) variou 0,65% no segundo decêndio de abril, contra 0,89% no mesmo período de coleta de março.

Três das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação, com destaque para o grupo Transportes (3,52% para 2,13%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item gasolina cuja taxa passou de 9,99% para 6,11%.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 1,30% no segundo decêndio de abril. No mês anterior, o índice foi de 1,31%.