IGP-10 sobe 2,97% em fevereiro e acumula 4,35% no ano

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

A Fundação Getulio Vargas (FGV) informou nesta sexta-feira (12) que o Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) subiu 2,97% em fevereiro. No mês anterior, o IGP havia apresentado taxa de 1,33%. Conforme o resultado, o índice acumula alta de 4,35% no ano e de 28,17% em 12 meses. Em fevereiro de 2020, o índice variou 0,01% no mês e acumulava elevação de 7,39% em 12 meses.

“O IPA segue exercendo forte influência sobre o IGP. Pressões, ora concentradas em matérias-primas brutas, agora se espalham entre os bens intermediários. No primeiro estágio de produção, vale destacar o comportamento do preço da soja que subiu 9,42% ante -10,45% na apuração anterior”, afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços.

De acordo com Braz, no estágio intermediário, há destaque para o preço dos fertilizantes, com alta de 10,74%, após queda de 1% em janeiro.

Preços ao Produtor

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 3,90% em fevereiro. No mês anterior, o índice havia registrado taxa de 1,60%. Na análise por estágios de processamento, os preços dos Bens Finais variaram de 1,24% para 0,90% em fevereiro. A principal contribuição para este resultado foi do subgrupo alimentos in natura, que passou de 4,99% para -3,95%.

Além disso, o índice relativo a Bens Finais (ex), que exclui os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, variou 0,77% em fevereiro. No mês anterior, a taxa havia sido 0,65%.

A taxa do grupo Bens Intermediários cresceu de 1,90% para 3,90% em fevereiro. Conforme os dados, a principal contribuição para este movimento partiu do subgrupo materiais e componentes para a manufatura. Essa taxa passou de 0,97% para 3,83%.

O índice do grupo Matérias-Primas Brutas passou de 1,64% em janeiro para 6,23% em fevereiro. A maior contribuição para o avanço foi da soja em grão (-10,45% para 9,42%).  Por outro lado, a maior queda foi do minério de ferro (20,61% para 7,96%).

Índice de Preços ao Consumidor

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) caiu para 0,35% em fevereiro. Em janeiro, o índice havia apresentado taxa de 0,59%. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. De acordo com a pesquisa, o maior destaque foi para o grupo Habitação (1,41% para -0,75%). Por outro lado, o grupo Educação, Leitura e Recreação (-2,84% para 1,33%) foi o maior acréscimo na taxa de variação.

Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,98% em fevereiro. No mês anterior a taxa variou 0,76%. Os três grupos componentes do INCC registraram as seguintes variações na passagem de janeiro para fevereiro: Materiais e Equipamentos (1,49% para 1,70%), Serviços (0,35% para 1,09%) e Mão de Obra (0,26% para 0,39%).