IGP-10 desacelera em fevereiro: de 1,07% para 0,01%

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Agência Brasil

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) teve variação positiva de 0,01% em fevereiro, depois de subir 1,07% em janeiro. Os dados são da Fundação Getulio Vargas (FGV) e foram divulgados nesta sexta-feira, 14.

Com este resultado, o índice acumula alta de 1,08% no ano e de 7,39% em 12 meses.

Em fevereiro de 2019, o índice havia registrado elevação de 0,40% no mês e alta de 6,98% em 12 meses.

O IGP-10 mede a evolução de preços dos produtos e é composto em 60% pelo Índice de Preços por Atacado (IPA); em 30% do Índice de Preços ao Consumidor (IPC); e em 10% do Índice Nacional de Custos da Construção (INCC).

IPA

O IPA caiu 0,19% em fevereiro. No mês anterior, o índice havia registrado alta de 1,38%. A principal contribuição para este resultado partiu do subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 2,93% para -3,39%.

IPC

O IPC variou 0,43% em fevereiro. Em janeiro, o índice havia registrado alta de 0,51%. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram recuo em suas taxas de variação, com destaque para o grupo Alimentação, cuja taxa passou de 1,96% para 0,34%. Nesta classe de despesa, vale citar o comportamento do item carnes bovinas, que registrou taxa de -4,49% em fevereiro, após alta de 8,78% em janeiro.

INCC

O INCC subiu 0,43% em fevereiro, ante 0,24% em janeiro. Os três grupos componentes do INCC registraram as seguintes variações na passagem de janeiro para fevereiro: Materiais e Equipamentos (0,27% para 0,82%), Serviços (0,26% para 1,07%) e Mão de Obra (0,23% para 0,06%).