FII: IFIX registra queda de 0,34% pressionado por BBPO11 e PLCR11

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Nesta quarta-feira (9), o IFIX seguiu em tendência de queda pelo quarto dia seguido, recuando 0,34%, aos 2.770,66 pontos.

Na mínima do dia, o índice de FIIs bateu em 2.769,53 pontos enquanto a máxima foi de 2.783,19 pontos.

No acumulado de dezembro, o IFIX registra queda de 1,35%. No ano cai 13,57%.

Simule o rendimento de seus investimentos em Renda Fixa e calcule retorno das aplicações

A movimentação financeira para a quarta-feira foi de R$ 256,47 milhões.

Destaques do dia

As maiores altas da carteira do IFIX foram em: Ourinvest Logística (OULG11), Square Faria Lima (FLMA11), Ourinvest JPP (OUJP11), Kinea Renda Imobiliária (KNCR11), Mérito Desenvolvimento Imobiliário (MFII11).

Na contramão, as maiores quedas foram em: BB Progressivo II (BBPO11), Plural Recebíveis Imobiliários (PLCR11), BTG Pactual Fundo de CRI (FEXC11), XP Properties (XPPR11), CSHG Real Estate (HGRE11).

Veja o gráfico do dia

Fonte:B3

FII: Maiores Altas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
OULG11R$ 77,152,21%
FLMA11R$ 2,992,05%
OUJP11R$ 103,000,98%
KNCR11R$ 87,640,89%
MFII11R$ 129,110,77%

FII: Maiores Baixas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
BBPO11R$ 118,20-2,96%
PLCR11R$ 83,12-2,13%
FEXC11R$ 89,08-2,06%
XPPR11R$ 80,38-1,86%
HGRE11R$ 146,80-1,48%

IFIX versus ações

Criado pela Bolsa brasileira, o IFIX tem por objetivo medir a performance de uma carteira.

Trata-se de uma composição de cotas de Fundos Imobiliários que são listados para negociação nos ambientes administrados pela bolsa. Entretanto, esse indicador costuma variar bem menos que o próprio Ibovespa.

Em comparação à bolsa, nesta quarta o conjunto de FIIs registrou forte desvalorização, em linha com o principal índice da bolsa, que caiu 0,70%.

Veja a movimentação de FII

O BTG Pactual, na qualidade de administrador do FII Max Retail (MAXR11) comunicou que o Fundo concedeu para uma de suas locatárias a flexibilização no contratos de aluguel, no intuito de preservar o patrimônio dos cotistas.

O BTG informou ainda que as condições de flexibilizações representam um impacto negativo na distribuição de rendimentos do Fundo de, aproximadamente, R$ 1,59 por cota, referente a competência de outubro/2020.

TORD11 lança 3ª emissão de cotas do Fundo

A Vórtx, na qualidade de administradora do FII Tordesilhas EI (TORD11), informou sobre a 3ª emissão de cotas do Fundo.

Desse modo, com a nova emissão serão lançadas até 4.748.341 cotas, podendo tal quantidade ser reduzida em razão da distribuição parcial ou aumentada em razão da distribuição das cotas adicionais.

O preço de aquisição por cota da 3ª emissão foi definido em R$ 10,53, assim sendo, o FII pretende levantar o montante de até R$ 50 milhões.

Os cotistas que tiverem interesse em exercer o direito de preferência deverão se manifestar no período entre os dias 11 de dezembro de 2020 a 23 de dezembro de 2020, inclusive, na B3.

Os recursos líquidos da Oferta serão destinados à aquisição de ativos compatíveis com a política de investimentos do Fundo, nos termos do Regulamento.

A Vórtx informou ainda que a oferta será destinada única e exclusivamente aos cotistas do TORD11.

BREV11 comunica 4ª emissão de cotas

A BR Capital, administradora do FII Brazil Real Estate Victory Fund I (BREV11), comunicou a abertura de nova emissão de cotas, por meio das quais o FII pretende levantar o montante inicial de R$ 21,46 milhões.

A 4ª emissão será de 200 mil cotas, no entanto, a quantidade de novas cotas ofertada poderá ser diminuída em virtude de distribuição parcial.

O preço de aquisição por cota da 4ª emissão foi definido em R$ 107,34.

Os cotistas que tiverem interesse em exercer o direito de preferência deverão se manifestar no período entre 09 de dezembro de 2020 a 23 de dezembro de 2020, inclusive, na B3.

Segundo o comunicado, os recursos líquidos captados serão destinados à aquisição de Ativos AIvo, observada a política de investimentos do BREV11.

RBRP11 adquire ativo por R$ 420 milhões

O FII RBR Properties (RBRP11) realizou a aquisição de 100% da torre comercial do edifício River One, localizado em Pinheiros, São Paulo (SP).

A Torre do River One será um empreendimento com área de 23.625,14m², cuja conclusão das obras está prevista para o 2º trimestre de 2021.

No âmbito da aquisição do imóvel, o Fundo desembolsará o montante de R$ 420 milhões.  De acordo com o administrador do RBRP11, a estimativa é de que o dividendo mensal do Fundo seja impactado positivamente em, aproximadamente, R$ 0,14/cota.

FII: Confira os rendimentos divulgados

VGIP11: R$ 1,25 por cota em 17/12

RVBI11: R$ 0,62 por cota em 15/12

CPFF11: R$ 0,65 por cota em 16/12

Veja mais:

Aluguel de FIIs: saiba como vai funcionar o empréstimo de cotas

Fundos imobiliários: confira os FIIs recomendados para dezembro

FII: conheça os 20 fundos imobiliários mais rentáveis de 2020