FII: IFIX despenca 0,38%; Índice é pressionado por XPSF11 e BCFF11

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Pixabay

O IFIX abriu a última semana de outubro em forte viés de baixa.

Na primeira hora de negociações o índice já caia 0,14%, movimento que foi intensificado ao longo do dia, fechando em queda de 0,38%, aos 2.809,86 pontos.

A mínima registrada para índice de FIIs nesta segunda-feira, 26, foi de 2.809,77 pontos. Na outra ponta, a máxima foi de 2.823,03 pontos.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

Em outubro, o IFIX registra alta de 0,54%. Já no acumulado de 2020, o índice recua 11,98%.

A movimentação financeira para esta segunda-feira foi de R$ 204,67 milhões.

Destaques do dia

As maiores altas da carteira do IFIX foram em: Barigui Rendimentos (BARI11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11), Bresco Logística (BRCO11), CSHG Real Estate (HGRE11).

Em sentido contrário, as maiores quedas foram registradas por: XP Selection (XPSF11), BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11), XP Log (XPLG11), Kinea Renda Imobiliária (KNRI11), Via Parque Shopping (FVPQ11).

Veja o gráfico do dia

Fonte:B3

FII: Maiores Altas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
BARI11R$ 106,301,06%
HGRU11R$ 129,451,05%
RBVA11R$ 123,900,73%
BRCO11R$ 121,900,65%
HGRE11R$ 150,880,59%

FII: Maiores Baixas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
XPSF11R$ 93,51-1,95%
BCFF11R$ 88,74-1,72%
XPLG11R$ 133,04-1,56%
KNRI11R$ 160,92-1,42%
FVPQ11R$ 152,46-1,30%

IFIX versus ações

Criado pela Bolsa brasileira, o IFIX tem por objetivo medir a performance de uma carteira.

Trata-se de uma composição de cotas de Fundos Imobiliários que são listados para negociação nos ambientes administrados pela bolsa. Entretanto, esse indicador costuma variar bem menos que o próprio Ibovespa.

Em comparação à bolsa, nesta segunda o conjunto de FIIs registrou desvalorização, em linha com o principal índice da bolsa, que caiu 0,24%.

Veja a movimentação de FII

FAMB11B cai quase 30% após comunicado de desocupação pela Caixa

O Fundo Imobiliário Edifício Almirante Barroso (FAMB11B) registra forte recuo nesta segunda-feira (26), após comunicar saída de locatária e vacância de 100% do imóvel. Às 11h25, a cota do fundo tinha queda de 29,24%, a R$ 2.189,99. A perda de sexta-feira para hoje é de R$ 905,00. No dia, o FII fechou em queda de 34,25%, cotado a R$ 2.035,01.

A Caixa tinha anunciado, em outubro de 2018, que iria desocupar uma área de 54.017,66 m2 do prédio, localizado na Avenida Rio Branco, nº 174, no Rio de Janeiro, mas permaneceria em um espaço de 2.411,80 m2.

Porém, o banco comunicou na sexta-feira (23) que faria a devolução integral do imóvel no dia 30 de novembro, o que significará uma vacância de 100%.

A BTG Pactual Serviços Financeiros, administradora do fundo, informou que irá recolocar o imóvel no mercado a fim de “locá-lo o mais rápido possível”, para reduzir a vacância futura e garantir a receita ao fundo e os cotistas.

BRLA11 adquire imóvel no Mato Grosso por R$ 30 milhões

O BTG Pactual, na qualidade de administrador do FII BRL Prop II (BRLA11), comunicou que o Fundo finalizou em 23 de outubro a assinatura do termo de cessão da posição contratual de promitente adquirente de imóvel localizado em Lucas do Rio Verde, Mato Grosso.

O montante total a ser desembolsado pelo Fundo para a aquisição do imóvel corresponde ao valor de R$ 29,92 milhões.

Atualmente, o imóvel encontra-se locado para Stock Tech Armazéns Gerais através de uma operação de Built To Suit, onde o imóvel é construído para atender os interesses do locatário.

Adicionalmente, o aluguel devido sob o contrato de locação apenas terá início em janeiro de 2021, com vigência de 9 anos e 8 meses.

Por fim, o BTG ressalta que o Fundo receberá o montante total no valor de R$ 1,07 milhão referente a luvas pagas pela locatária, que representam aproximadamente, R$ 1,34 por cota.

FIVN11 estuda proposta de aquisição de imóvel

A Oliveira Trust, administradora do FII Vida Nova (FIVN11), informou que recebeu proposta para a aquisição de 100% do empreendimento “Centro Empresarial Vida Nova”.

Atualmente, o Fundo possui a fração equivalente a 62,44% do referido imóvel.

O valor oferecido foi de R$ 70,59 milhões a serem pagos em duas parcelas iguais, sendo a parcela inicial paga na data de assinatura da escritura pública e a segunda parcela paga mediante o cumprimento de determinadas condições dispostas na Proposta.

A Administradora e o consultor imobiliário do Fundo estão analisando os termos e condições da proposta.

Ainda de acordo com o comunicado, a Administradora e o Consultor Imobiliário informam que estão negociando os termos proposta, levando em consideração fatores técnicos e mercadológicos e o valor de referência de avaliação do imóvel e do empreendimento.

Após referidas negociações, será convocada Assembleia Geral de Cotistas para deliberar sobre o assunto.

FII: Confira os rendimentos divulgados

EDGA11: R$ 0,071979698 por cota em 30/10