FII: IFIX avança 0,03%; Índice é puxado por XPCM11 e RBFF11

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Pxhere

Em um dia marcado por poucas oscilações, o IFIX fechou o pregão desta segunda-feira (23) em alta de 0,03%, aos 2.796,93 pontos.

A mínima para o dia no índice bateu em 2.796,04 pontos, enquanto a máxima foi de 2.800,76 pontos. Para o acumulado de novembro, o IFIX registra alta de 1,09%. No ano, a queda é de 12,43%.

A movimentação financeira para a segunda-feira foi de R$ 175,32 milhões.

Conheça planilha que irá te ajudar em análises para escolha do melhor Fundo Imobiliário em 2021

Destaques do dia

Os FIIs com as maiores altas da carteira foram: XP Corporate Macaé (XPCM11), Rio Bravo IFIX (RBFF11), General Shopping Ativo e Renda (FIGS11), Kinea Índices de Preços (KNIP11), XP Malls (XPML11).

Já as maiores quedas foram registradas em: CSHG Imobiliário FOF (HGFF11), Votorantim Logística (VTLT11), Santander Renda de Aluguéis (SARE11), Alianza Trust Renda Imobiliária (ALZR11), Hectare CE (HCTR11).

Veja o gráfico do dia

Fonte:B3

FII: Maiores Altas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
XPCM11R$ 53,433,15%
RBFF11R$ 74,881,33%
FIGS11R$ 63,951,19%
KNIP11R$ 111,651,04%
XPML11R$ 109,101,03%

FII: Maiores Baixas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
HGFF11R$ 92,37-1,42%
VTLT11R$ 114,50-1,29%
SARE11R$ 93,15-1,23%
ALZR11R$ 124,52-1,17%
HCTR11R$ 139,49-0,99%

IFIX versus ações

Criado pela Bolsa brasileira, o IFIX tem por objetivo medir a performance de uma carteira.

Trata-se de uma composição de cotas de Fundos Imobiliários que são listados para negociação nos ambientes administrados pela bolsa. Entretanto, esse indicador costuma  variar bem menos que o próprio Ibovespa.

Em comparação à bolsa, nesta segunda o conjunto de FIIs registrou valorização, em linha com o  principal índice da bolsa, que subiu 1,26%.

Veja a movimentação de FII

MGCR11 comunica 2ª emissão de cotas do Fundo

O BTG Pactual, na qualidade de administrador do  fundo de investimento imobiliário (FII) Mogno Certificados de Recebíveis Imobiliários (MGCR11), informou sobre a 2ª emissão de cotas do Fundo.

Desse modo, com a nova emissão serão lançadas até 500 mil cotas, pelo valor unitário de R$ 100,00.

Com isso, o MGCR11 pretende levantar o montante mínimo de R$ 50 milhões.

Os cotistas que tiverem interesse em exercer o direito de preferência deverão se manifestar no período entre os dias 27 de novembro de 2020 a 15 de dezembro de 2020, inclusive, na B3.

O BTG informou ainda que a oferta restrita é destinada exclusivamente a investidores profissionais.

TRXF11 lança 4ª emissão de cotas

A BRL Trust, administradora do FII TRX Real Estate (TRXF11), comunicou a abertura da 4ª emissão de cotas do Fundo.

Deste modo, a nova emissão será de 1 milhões de cotas, podendo a quantidade ser reduzida, em virtude da distribuição parcial, ou aumentada, em virtude do lote adicional.

O preço de aquisição por cota da 4ª emissão foi definido em R$ 100,00, já considerada a taxa de distribuição primária.

Como resultado, o Fundo pretende levantar o montante de R$ 100 milhões.

Os recursos captados serão destinados, preferencialmente, a aquisição de cotas do TRX Real Estate II Fundo de Investimento Imobiliário (TRXB11); recompra facultativa de créditos imobiliários cedidos para aquisição dos atuais ativos do Fundo, e aquisição de imóveis que atendam a política de investimento do Fundo.

Os cotistas poderão manifestar o exercício de seu direito de preferência, total ou parcialmente, a partir de 27 de novembro de 2020, inclusive, e 09 de dezembro de 2020, inclusive, junto à B3.

BTLG11 realiza novo contrato de locação

O FII BTG Pactual Logística (BTLG11) informou que o Fundo assinou novo contrato de locação com a Ceva Logistics.

O ativo compreende uma área equivalente a 25.481,00 m², localizada no imóvel BTLG Jundiaí, recentemente adquirido pelo Fundo.

Com esta locação, a ocupação do imóvel BTLG Jundiaí, entregue em setembro de 2020, passará de 38% para 64%, sendo que a vacância financeira do BTLG11 permanece em 0%, informou o administrador.

FII HGLG11 adquire ativos

O FII CSHG Logística (HGLG11) adquiriu fração de 73% do galpão logístico multiusuário denominado “G6”, integrante do complexo logístico Cone Multimodal, localizado no município de Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco.

O valor de aquisição do ativo, com área bruta locável de 21.550 m², corresponde a R$ 35,84 milhões.

Atualmente, o ativo está locado para 4 diferentes inquilinos pelo valor total mensal de R$ 157,511mil, equivalente a aproximadamente R$ 0,01 por cota ao mês.

O HGLG11 adquiriu ainda uma fração correspondente a 30% de um terreno, já terraplanado e com acesso bem como com projeto aprovado para futura construção, denominado “G4”, também integrante do complexo logístico Cone Multimodal.

O valor total pago pela aquisição da fração do terreno foi de R$ 2,93 milhões.

O administrador informou que no terreno é previsto o desenvolvimento de um galpão logístico refrigerado, com início de obras no primeiro semestre de 2021 e estimativa de custos de aproximadamente R$ 14,92 milhões.

FII: Confira os rendimentos divulgados

FLRP11: R$ 3,353797982 por cota em 30/11

CNES11: R$ 0,194941008 por cota em 27/11

Leia mais:

FII: conheça os 20 fundos imobiliários mais rentáveis de 2020