FII: IFIX fecha em queda de 0,07% puxado por ABCP11 e FLMA11

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Em um dia marcado por poucas oscilações, o IFIX fechou a sessão desta quarta-feira (18) na mínima do dia aos 2.800,89 pontos, recuando 0,07%.

Já a máxima para o  índice de FIIs atingiu os 2.807,70 pontos.

Para o acumulado de novembro, o IFIX registra alta de 1,23%. No ano, a queda é de 12,3%.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

A movimentação financeira para a quarta-feira foi de R$ 167,85 milhões.

Destaques do dia

Os FIIs que tiveram o maior desempenho na carteira do IFIX foram: Mérito Desenvolvimento Imobiliário (MFII11), Rio Bravo IFIX (RBFF11), Kinea Fundo de Fundos (KFOF11), XP Properties (XPPR11), XP Selection (XPSF11).

Na contramão, as maiores quedas foram em: Grand Plaza Shopping (ABCP11), Square Faria Lima (FLMA11), Santander Papéis Imobiliários (SADI11), Vila Olímpia Corporate (VLOL11), Plural Recebíveis Imobiliários (PLCR11).

Veja o gráfico do dia

Fonte:B3

FII: Maiores Altas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
MFII11R$ 138,001,10%
RBFF11R$ 73,851,03%
KFOF11R$ 110,800,97%
XPPR11R$ 84,300,92%
XPSF11R$ 94,850,87%

FII: Maiores Baixas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
ABCP11R$ 75,70-2,35%
FLMA11R$ 2,99-1,97%
SADI11R$ 82,00-1,63%
VLOL11R$ 103,60-1,33%
PLCR11R$ 84,15-1,28%

IFIX versus ações

Criado pela Bolsa brasileira, o IFIX tem por objetivo medir a performance de uma carteira.

Trata-se de uma composição de cotas de Fundos Imobiliários que são listados para negociação nos ambientes administrados pela bolsa. Entretanto, esse indicador costuma variar bem menos que o próprio Ibovespa.

Em comparação à bolsa, nesta quarta o conjunto de FIIs registrou desvalorização, em linha ao principal índice da bolsa, que caiu 1,05%.

Veja a movimentação de FII

AFCR11 lança 2ª emissão de cotas

O  Fundo de investimento imobiliário (FII) Af Invest Recebíveis Imobiliários (AFCR11), informou a abertura de nova emissão de cotas.

Assim sendo, a 2ª emissão será de 982.704 cotas, totalizando o montante de R$ 100 milhões.

O preço de aquisição por cota da 2ª emissão foi definido em R$ 101,76, sem considerar a taxa de distribuição.

Adicionalmente, será admitida a distribuição parcial das novas cotas respeitado o valor mínimo de R$ 30 milhões, correspondente a 294.811 cotas.

Os cotistas poderão manifestar o exercício de seu direito de preferência durante o período entre 24 de novembro de 2020 e 04 de dezembro de 2020.

Os recursos decorrentes da oferta, inclusive em caso de distribuição parcial, serão destinados à aquisição de ativos alvo, conforme descritos no regulamento do Fundo.

FCFL11 assina contrato de locação com a Netpark

O BTG Pactual, na qualidade de administrador do FII Campus Faria Lima (FCFL11), assinou um novo contrato de locação, com a locatária Netpark, referente a área do estacionamento do imóvel pertencente ao Fundo.

Desse modo, o referido contrato terá prazo de 5 anos contados a partir de 01/11/2020, com carência e descontos em linha com o praticado na região.

Considerando o aluguel mínimo mensal a ser recebido com a nova locação, o Fundo terá um impacto positivo a receita de, aproximadamente, 0,77% em comparação às receitas do mês de outubro de 2020, e aproximadamente R$ 0,005 por cota.

No entanto, o BTG esclarece que os valores são uma estimativa, dado que o aluguel é composto pelo valor mínimo acrescido de uma parcela variável a depender do fluxo de veículos.

RCRB11 adquire controle do FII BREV11

O FII Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11) adquiriu 423.797 cotas do Brazil Real Estate Victory Fund I (BREV11), pelo valor unitário de R$ 105,70, totalizando R$ 44,79 milhões.

A aquisição ocorreu por um preço por cota abaixo da cota patrimonial do BREV11 que, em setembro de 2020, era de R$ 107,25 por cota.

A gestão estima um dividend yield estabilizado de 7% ao ano, após período de carências/diferimentos em vigor.

O valor de aquisição por metro quadrado foi de aproximadamente R$ 15.400,00, valor que a equipe de gestão acredita ser extremamente atrativo para um portfólio de ativos na região.

Com a aquisição, o FII passa a ser detentor de 50,9% das cotas do BREV11, o que dá ao Fundo controle para tomada de decisões importantes como investidores.

O impacto no resultado do RCRB11 está estimado em R$ 0,05/cota.

FII RBRP11 comunicou a aquisição de ativo

O RBR Properties (RBRP11) comunicou a aquisição do conjunto nº 121 do Condomínio Centro Empresarial Mário Garnero, situado na Av. Brigadeiro Faria Lima, Pinheiros, São Paulo/SP.

O FII desembolsou o valor de R$ 2,2 milhões equivalente a R$ 12.122/m², pago à vista.

A aquisição não gerará efeito imediato na distribuição de rendimento mensal do Fundo.

Com a aquisição do imóvel, o Fundo aumentará a sua participação no Condomínio em 1,3%, totalizando a participação no referido condomínio em 13,2%.

Veja mais:

Fundos imobiliários: confira os FIIs recomendados para novembro

FII: conheça os 20 fundos imobiliários mais rentáveis de 2020