FII: IFIX fecha no zero a zero; PLCR11 e XPSF11 puxam alta

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.

Crédito: Pixabay

Nesta quarta-feira (16), o IFIX abriu o pregão com viés positivo de 0,08%. No entanto, ao longo do dia, acabou não sustentando força no lado comprador e fechou a sessão em alta de 0,02%, aos 2.802,76 pontos.

Com poucas oscilações no dia, a mínima para o índice de FIIs hoje foi de 2.801,56 pontos. Já a máxima bateu em 2.806,79 pontos.

Para setembro, o registra alta de 0,74%, enquanto no ano a queda é de 11,44%.

Baixe planilha que irá te ajudar a analisar Fundos Imobiliários.

A movimentação financeira para esta quarta foi de R$ 186,63 milhões.

Maiores altas

Entre os Fundos Imobiliários que puxaram a alta estavam: Plural Recebíveis Imobiliários (PLCR11), XP Selection (XPSF11), SP Downtown (SPTW11), Bresco Logística (BRCO11), Grand Plaza Shopping (ABCP11).

Em sentido contrário, as maiores quedas da carteira foram em: Santander Papéis Imobiliários (SADI11), REC Recebíveis Imobiliários (RECR11), VBI Logístico (LVBI11), Pátria Edifícios Corporativos (PATC11), Kinea Fundo de Fundos (KFOF11).

Veja o gráfico do dia

Fonte:B3

FII: Maiores Altas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
PLCR11R$ 83,002,28%
XPSF11R$ 97,982,06%
SPTW11R$ 86,461,24%
BRCO11R$ 129,001,08%
ABCP11R$ 80,201,02%

FII: Maiores Baixas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
SADI11R$ 88,50-1,28%
RECR11R$ 101,70-1,17%
LVBI11R$ 122,99-1,00%
PATC11R$ 91,00-0,93%
KFOF11R$ 113,46-0,91%

IFIX versus ações

Criado pela Bolsa brasileira, o IFIX tem por objetivo medir a performance de uma carteira.

Trata-se de uma composição de cotas de Fundos Imobiliários que são listados para negociação nos ambientes administrados pela bolsa. Entretanto, esse indicador costuma variar bem menos que o próprio Ibovespa.

Em comparação à bolsa, nesta terça-feira, o conjunto de fundos de investimentos imobiliários registrou valorização, em contraponto ao principal índice da bolsa, que caiu 0,62%.

Confira a movimentação de FII

LGCP11

A Inter, na qualidade de administradora do fundo de investimento imobiliário (FII) LOGCP Inter (LGCP11), informou ao mercado sobre a nova emissão de cotas do seu FII.

De acordo com o comunicado, na segunda emissão serão distribuídas 1.565.257 de cotas, podendo tal quantidade ser diminuída em virtude de distribuição parcial.

O valor unitário foi definido em R$ 95,87, sendo que não inclui a taxa de distribuição no mercado primário, no valor de R$ 4,13 por cota.

Com a emissão, a administradora estima levantar o montante de até R$ 150.061.188,59.

A administradora informou que as cotas da 2ª emissão poderão ser subscritas ou adquiridas por investidores em geral.

A destinação dos recursos será direcionada conforme a política de investimento definida no regulamento do FII.

LGCP11 é um fundo imobiliário do tipo tijolo, de modo que seus investimentos são destinados a propriedades comerciais do segmento galpões.

CPFF11

A Vórtx, na qualidade de nova administradora do Capitânia Reit FOF (CPFF11) informou que, a partir do fechamento dos mercados do dia 18 de setembro de 2020, o serviço de escrituração das cotas do FII passará a ser prestado pela BTG Pactual.

Segundo a administrado, devido ao processo de migração, haverá indisponibilidade dos procedimentos de consultas de posição; transferência de titularidade de cotas fora de bolsa de valores; movimentação de custódia de cotas; pagamentos de eventuais eventos pendentes; atualização cadastral; e registro de gravames, no período de 15 de setembro de 2020 a 18 de setembro de 2020.

BRCO11

O FII Bresco Logítica (BRCO11) comunicou a celebração de contrato de construção e de gerenciamento de obra com a SGO Construções e a Britcor Consultoria & Administração de Facilities, para a expansão da área bruta locável (ABL) do Bresco Contagem.

Segundo o projeto, a expansão do empreendimento será de aproximadamente 11,7 mil m², equivalente a 19,2% da ABL atual do empreendimento.

A expansão demandará investimento total de aproximadamente R$ 17,4 milhões, ou R$ 1.484/m², o qual será suportado integralmente com os recursos disponíveis no Fundo.

Desta forma, a distribuição mensal não será impactada em função dos custos da expansão. O início das obras se dará em até 15 dias, a contar de 15 de setembro, com duração prevista de 7 meses.